Livros para a quarentena: 8 dicas de livros infantis para ler neste período

Aulas suspensas, nada de visitas aos avós ou colegas, sem mais saídas para o parque ou o cinema. Estamos passando por um período singular e que pode ser ainda mais complicado para os pequenos que agora estão 24 horas em casa. Nesse momento, a leitura pode ser uma fonte de alegria, conforto e ao mesmo tempo de distração. Pensando nisso, o Clube Quindim fez uma lista com 8 livros para a quarentena, são obras muito especiais e que enviamos para os pequenos assinantes do clube no mês de abril.

Vem conferir esses livros para a quarentena que selecionamos e, quem sabe, pegar algumas dicas de leitura bem legais. Afinal, por que não aproveitar esse momento em casa para incentivar ainda mais a leitura das crianças?

Conheça 8 livros para a quarentena

Pré-leitor (0 a 2 anos)


Azul

Livros para a quarentena Azul Meritxell Martí e Xavier Salomó Editora Jujuba
Autores: Meritxell Martí e Xavier Salomó
Editora: Jujuba

Dentre os livros para a quarentena que o Quindm separou, o primeiro foi Azul. Quando a criança começa a decodificar o mundo, explorá-lo e entendê-lo, é muito comum que ela classifique os elementos em categorias, como, por exemplo, coisas de comer, coisas de vestir, coisas de brincar etc. E assim vai construindo o seu repertório. Este livro é especialmente interessante para esse momento dos pequenos porque ele cria também uma categoria, entretanto, de uma outra forma. Este é o livro das coisas azuis. E, afinal, quais são elas? Onde encontramos essa cor? É uma obra que abre o nosso olhar, ao mesmo tempo que nos permite encontrar as mais variadas relações entre elementos a partir de um aspecto que as une.


Esperando a chuva

Autora: Véronique Vernette Tradutor: Renato Pedrosa Editora: Pulo do Gato
Autora: Véronique Vernette
Tradutor: Renato Pedrosa
Editora: Pulo do Gato

O que é a chuva para uma criança? Um alívio para o calor? Um motivo a mais para se aconchegar junto da família? Neste livro, a personagem está determinada a ver o céu acinzentar e a chuva cair sobre a cidade. Dependendo da região onde você mora, é bem provável que a chuva tenha um significado muito forte pra você. Se você passou a infância no litoral, talvez a chuva seja algo ruim, que esconde o sol e impede aquela ida à praia. Ou, então, inspira muitas brincadeiras, de pular nas poças, tomar um banho de chuva. Pode, ainda, ser um alívio para a seca, para o calor. Um sinal de boas colheitas. Neste livro, a chuva é tratada como um ente querido que tarda a voltar. E a criança a acolhe com todo o carinho.

Leitor iniciante (3 a 5 anos)


Tenho medo

livros para a quarentena. Autor: Ivar da Coll Tradutora: Dolores Prades Editora: Livros da Matriz
Autor: Ivar da Coll
Tradutora: Dolores Prades
Editora: Livros da Matriz

Tenho medo é uma das nossas recomendações de livros para a quarentena destinados aos pequenos de 3 a 5 anos. Quando apagamos as luzes e descansamos a cabeça no travesseiro, são muitos os medos que podem aparecer. Mas, neste livro, Eusébio descobre que os monstros que tanto lhe colocam medo na verdade também sentem medo.

Um dos pontos principais deste livro é a forma como o acolhimento faz o pequeno elaborar os seus medos e, eventualmente, superá-los ou mesmo conviver com eles. O momento de dormir é, muitas vezes, quando todas aquelas preocupações que a luz do dia ofuscava voltam a perturbar a nossa mente. E os pequenos, tanto quanto nós, também têm os seus medos, as suas angústias. Então, oferecer esse apoio, ouvir a criança, traz muito alívio para ela. Afinal, saber que não estamos sozinhos diante de uma situação nos dá forças para enfrentá-la. E, no fim do dia, quem é que não gosta de um abraço, de um colo e de alguém que nos faça perceber que tudo ficará bem?

Veja também: Medo na infância e como a literatura pode espantar os fantasmas debaixo da cama


Reconto que passa

reconto que passa Salizete Freire Soares Maurício Negro paulinas
Escritora: Salizete Freire Soares
Ilustrador: Maurício Negro
Editora: Paulinas

Neste livro, os personagens se solidarizam e vão repassando o conto da pobre Dona Baratinha e o Seu Ratão, até que a chuva venha e lave toda a dor. Aqui, a cada personagem que encontramos, a história se torna mais longa, ganha um novo acontecimento, bem como um novo elemento, e tudo é recontado desde o começo. Isso define o conto cumulativo! Sua popularidade entre as crianças talvez se dê pela repetição de uma estrutura parecida, que as deixa na expectativa de ouvir novamente aquela palavra que lhes chamou a atenção, do mesmo modo que desejam saber o que o próximo personagem acrescentará à história. Por isso, os contos cumulativos costumam divertir muito e ainda são ótimos exercícios de memória para quem está ganhando vocabulário!

Leitor autônomo (6 a 8 anos)


A colecionadora de cabeças

livros para a quarentena a colecionadora de cabeças Ana Matsusaki Editora do Brasil
Autora: Ana Matsusaki
Editora: Editora do Brasil

E se alguém conseguisse ver o que há dentro de nossas cabeças? Neste livro, um lançamento exclusivo do Clube Quindim, você conhece Rosália, que coleciona cabeças e, além disso, estuda com carinho cada uma delas e os elementos fascinantes que nelas passeiam.

Se houvesse a possibilidade de todos verem o que há em nossas cabeças, muitas pessoas ficariam com medo dessa exposição. Dessa vulnerabilidade. Teriam medo de mostrar todos os seus lados, os bons e os ruins. Mas o que será que Rosália destacaria em cada um de nós? Embora refletir sobre isso possa até causar certa angústia, é muito interessante tentar nos ver com o olhar do outro. Sem nosso julgamento sobre nós mesmos. Com esta obra, percebendo os elementos bonitos, a poesia, que Rosália encontra em cada um, vale tentar olhar para nós com o mesmo carinho, principalmente durante esse período tão adverso pelo qual estamos passando. Que tal ver primeiro as coisas boas? E deixar que elas tomem o seu merecido espaço em quem somos?

Veja também: Quindim entrevista Ana Matsusaki, autora do livro A colecionadora de cabeças, lançamento exclusivo do clube no mês de abril.


A fome do lobo

livros para a quarentena a fome do lobo claudia vasconcellos odilon moraes iluminuras
Escritora: Cláudia Vaconcellos
Ilustrador: Odilon Moraes
Editora: Iluminuras

Mesmo que seus pequenos não conheçam, você com certeza conhece a história da Chapeuzinho Vermelho. Nela, é o lobo quem manipula todos à sua volta. Mas, neste livro, é ele quem é manipulado! O lobo, faminto, cada vez mais faminto, depara-se a todo momento com animais que usam a inteligência para salvar a sua pele daqueles dentes pontudos. É uma visão inusitada deste personagem consagrado dos contos infantis que, nesta história, se vê sob a vontade de outros animais. Eles que, mesmo menores que o lobo, conseguem superá-lo, principalmente, com sua boa argumentação. Até que, por fim, ele consegue o que quer da forma menos provável: sentado à mesa, garfo e faca em mãos, acolhido por uma família.

Leitor Fluente (9 a 12 anos)


A cor da ternura

A cor da ternura. Geni Guimaraes editora FTD
Autora: Geni Guimarães
Editora: FTD

Em memórias belas e dolorosas da autora, este livro narra o peso da cor e da condição social em um Brasil não tão longe de nós. Seja qual for a sua cor, você se lembra do momento em que descobriu que o tom da sua pele seria usado para julgá-lo? Talvez isso sequer tenha acontecido, caso você não faça parte de uma minoria racial. Mas, principalmente para pretos e pardos que vivem no Brasil, essa consciência vem cedo e norteia a forma como somos criados, nos pede comportamentos cautelosos, traz preocupações inesperadas.

Veja também: Livros para falar sobre diversidade com as crianças


James e o pêssego gigante

livros para a quarentena james e o pessego gigante Roald Dahl Quentin Blake Editora 34
Escritor: Roald Dahl
Ilustrador: Quentin Blake
Editora: 34

O últimos dos livros para a quarentena que o Clube Quindim enviou para os seus assinantes foi James e o pessêgo gigante. Em uma aventura que já se tornou um clássico no coração de muitos de nós, James escapa de suas tias maldosas com novos companheiros e descobre uma saída para seus pesares.

Para muitas crianças (e também para adultos, convenhamos), os insetos são nada mais do que fontes de pavor. Afinal, que criança sonha em se deitar em uma rede feita de teia de aranha? A nossa aposta é: nenhuma. Mas, neste livro, a fantasia transforma os insetos em companheiros de aventura e grandes aliados. Além disso, a dinâmica que o autor estabelece entre os personagens traz aspectos cômicos em diversos momentos da narrativa! Então, o pobre James ganha o trabalho exaustivo de tirar todas as 42 botinhas do Sr. Centopeia, a Madame Vaga-lume atua como uma lâmpada, ao passo que a Joaninha parece uma figura materna que acolhe James. E que tal aproveitar a quarentena para se divertir com os pequenos assistindo à adaptação que o livro ganhou para as telinhas?

Veja também: 7 adaptações da literatura infantil para o cinema

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *