Você sabe o que são competências socioemocionais? Esse tema está cada vez mais presente quando o assunto é educação infantil. Mesmo assim, para muitos ainda restam dúvidas sobre a sua importância e de que maneira podemos contribuir para seu desenvolvimento nos nossos pequenos.

Podemos dizer que as competências socioemocionais são aquelas habilidades que todos nós precisamos desenvolver ao longo da vida, e sobretudo na infância. Elas nos ajudam a compreender e a trabalhar nossas próprias emoções e sentimentos, bem como nos dão subsídios para lidar com as emoções das outras pessoas e entendê-las.

Certamente essas habilidades não têm sua importância restrita nem às crianças nem à infância, já que todos nós convivemos em sociedade durante toda a vida. Mas não se pode negar que durante os primeiros anos de vida e de formação do indivíduo o terreno é muito mais fértil para esse desenvolvimento.

Neste artigo, vamos falar mais sobre o que e quais são as competências socioemocionais, de que maneira elas se fazem presentes na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e como podemos trabalhá-las na escola.

O que são competências socioemocionais

O que são competências socioemocionais

Como dissemos, as competências socioemocionais são habilidades que nos permitem desenvolver autoconhecimento e gestão das nossas próprias emoções. Além disso, é por meio delas que conseguimos cooperar com colegas, mediar conflitos, nos colocar no lugar dos outros, respeitar as diferenças e muito mais.

Se durante muito tempo o foco principal da educação infantil e básica esteve na aprendizagem de conteúdos acadêmicos, há algum tempo começamos a acompanhar as mudanças nesse cenário.

Hoje já se entende que um bom desenvolvimento de competências socioemocionais é fundamental para a formação de uma pessoa como ser integral, ou seja, como indivíduo, como cidadão e, futuramente, também como profissional.

Quais são as competências socioemocionais

Quais são as competências socioemocionais

Não existe um número determinado de competências socioemocionais. Tanto é que, se você fizer uma simples busca na internet, vai se deparar com várias listas diferentes, cujos tópicos variam tanto em quantidade quanto em profundidade. Também é possível encontrar nomenclaturas diferentes que tratam basicamente da mesma habilidade.

Há ainda os conjuntos de competências socioemocionais mais requisitadas para uma determinada profissão, por exemplo, ou para enfrentar com sucesso uma situação desafiadora específica. Ou seja, dependendo do ângulo utilizado para a busca, as respostas são praticamente infinitas.

O que podemos dizer que existe, no entanto, é um consenso entre os especialistas no assunto. Eles indicam que as competências mais utilizadas, que são fundamentais para o desenvolvimento de um indivíduo, estão agrupadas em cinco eixos. Confira a seguir:

  • Abertura para o novo: curiosidade, desejo de aprender, imaginação e interesse artístico;
  • Autogestão: autoconhecimento e controle, organização, foco, responsabilidade, determinação;
  • Engajamento com outras pessoas: entusiasmo, iniciativa social, assertividade;
  • Empatia: amabilidade, respeito, confiança;
  • Resiliência: capacidade de tolerar o estresse, autoconfiança, habilidade de lidar com a frustração.

Essas cinco macrocompetências se desdobram em outras, como você pode ver. Todas elas podem e devem ser ativamente desenvolvidas nas crianças desde bem pequenas, e continuamente aprimoradas ao longo da vida de todos nós.

Quando se fala no desenvolvimento de competências socioemocionais em crianças, a escola tem um papel fundamental, e é aí que entra em cena a BNCC.

Competências socioemocionais na BNCC

Competências socioemocionais na BNCC

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é um documento extenso e bastante complexo, que busca tratar de todo o currículo da Educação Básica no Brasil. Além de direcionar como deve ser o processo de ensino-aprendizagem nas escolas, a BNCC define também os conteúdos acadêmicos a serem abordados a cada ano escolar.

Dentre os objetivos primordiais da BNCC está a garantia de que exista uma base única de desenvolvimento para todos os estudantes do país, estejam eles matriculados em escolas públicas ou particulares.

Além das abordagens a respeito dos conhecimentos acadêmicos, a BNCC também trata do desenvolvimento das competências socioemocionais. Em seu conteúdo, é possível encontrar um conjunto de 10 competências gerais, que devem ser exploradas e incentivadas no ambiente escolar.

A ideia é que os estudantes fortaleçam essas habilidades para lidar com as mais diversas situações do seu dia a dia sem perder de vista os chamados princípios universais, como direitos humanos, justiça social, ética e sustentabilidade ambiental.

Conheça as 10 competências gerais que constam na BNCC:

  1. Valorizar e utilizar os conhecimentos historicamente construídos sobre o mundo físico, social, cultural e digital para entender e explicar a realidade, continuar aprendendo e colaborar para a construção de uma sociedade justa, democrática e inclusiva.
  2. Exercitar a curiosidade intelectual e recorrer à abordagem própria das ciências, incluindo a investigação, a reflexão, a análise crítica, a imaginação e a criatividade, para investigar causas, elaborar e testar hipóteses, formular e resolver problemas e criar soluções (inclusive tecnológicas) com base nos conhecimentos das diferentes áreas.
  3. Valorizar e fruir as diversas manifestações artísticas e culturais, das locais às mundiais, e também participar de práticas diversificadas da produção artístico-cultural.
  4. Utilizar diferentes linguagens – verbal (oral ou visual-motora, como Libras, e escrita), corporal, visual, sonora e digital –, bem como conhecimentos das linguagens artística, matemática e científica, para se expressar e partilhar informações, experiências, ideias e sentimentos em diferentes contextos e produzir sentidos que levem ao entendimento mútuo.
  5. Compreender, utilizar e criar tecnologias digitais de informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas práticas sociais (incluindo as escolares) para se comunicar, acessar e disseminar informações, produzir conhecimentos, resolver problemas e exercer protagonismo e autoria na vida pessoal e coletiva.
  6. Valorizar a diversidade de saberes e vivências culturais e apropriar-se de conhecimentos e experiências que lhe possibilitem entender as relações próprias do mundo do trabalho e fazer escolhas alinhadas ao exercício da cidadania e ao seu projeto de vida, com liberdade, autonomia, consciência crítica e responsabilidade.
  7. Argumentar com base em fatos, dados e informações confiáveis, para formular, negociar e defender ideias, pontos de vista e decisões comuns que respeitem e promovam os direitos humanos, a consciência socioambiental e o consumo responsável em âmbito local, regional e global, com posicionamento ético em relação ao cuidado de si mesmo, dos outros e do planeta.
  8. Conhecer-se, apreciar-se e cuidar de sua saúde física e emocional, compreendendo-se na diversidade humana e reconhecendo suas emoções e as dos outros, com autocrítica e capacidade para lidar com elas.
  9. Exercitar a empatia, o diálogo, a resolução de conflitos e a cooperação, fazendo-se respeitar e promovendo o respeito ao outro e aos direitos humanos, com acolhimento e valorização da diversidade de indivíduos e de grupos sociais, seus saberes, identidades, culturas e potencialidades, sem preconceitos de qualquer natureza.
  10. Agir pessoal e coletivamente com autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência e determinação, tomando decisões com base em princípios éticos, democráticos, inclusivos, sustentáveis e solidários.

A grande chave da questão é descobrir de que maneira é possível desenvolver competências socioemocionais na escola sem perder essas competências gerais de vista.

Como trabalhar as competências socioemocionais na escola

Como trabalhar as competências socioemocionais em sala de aula

Existem diversas maneiras de trabalhar as competências socioemocionais na escola, propiciando seu desenvolvimento nas crianças. Em termos práticos, contação de histórias, oficinas de ciências, exploração do ambiente e da natureza, expressão verbal e corporal são apenas algumas delas. 

O pano de fundo, no entanto, deve ser o conjunto de atitudes dos educadores. Os professores têm o grande e brilhante desafio de mostrar aos alunos que tudo está interligado, tanto na escola como na vida. Para isso, o primeiro passo é estabelecer vínculos com os estudantes, para que haja uma troca sincera, ativa e duradoura entre ambos.

Criar oportunidades de diálogo com os alunos, dando voz a todos eles, valorizando seus sentimentos, suas experiências prévias, vivências e visões de mundo é um caminho fundamental para fortalecer seu valor como indivíduos.

Clube Quindim e as competências socioemocionais

No site do nosso clube de leitura infantil, o Clube Quindim, você consegue buscar títulos de livros tendo como base as competências da BNCC. Assim, se quiser fazer uma sessão de leitura com seus filhos ou seus alunos sobre o tema empatia, por exemplo, basta configurar o filtro e pronto!

Literatura de qualidade é sempre um ótimo instrumento para desenvolver as competências socioemocionais nas crianças. Com diferentes histórias, é possível falar de individualidade, respeito às diferenças, curiosidade, confiança e muito mais. Navegue pelo nosso site e saiba mais!

Assine o Clube Quindim

APROVEITE ESTE MOMENTO PARA INCENTIVAR A LEITURA!