Muitas mães não veem a hora do nascimento do bebê para interagir com ele. É comum ficar ansiosa para segurar seu bebê no colo pela primeira vez, tocar seu rostinho, amamentar. Mas você não precisa esperar pelo nascimento para começar essa interação. Estimular o bebê ainda na barriga traz muitas vantagens para seu desenvolvimento e fortalece os laços entre ele e os pais.

Muita gente pode não saber, mas ainda antes de nascer os pequenos são capazes de ouvir e reconhecer vozes, desvendar sabores e até enxergar luzes. A seguir, você encontra sugestões simples de como estimular o bebê ainda na barriga e os benefícios de cada exercício para o desenvolvimento do bebê.

Quando o bebê começa a ouvir, sentir e enxergar?

O desenvolvimento dos sentidos do bebê começa cedo, muito antes do seu nascimento.

A partir da 22ª semana, ainda na barriga da mãe, os pequenos adquirem a chamada memória sensorial. Isso significa que eles são capazes de reconhecer alguns padrões, como vozes, luzes e até sabores, e reagir a esses estímulos externos.

Sendo assim, a partir desse período, é interessante que os pais interajam com os bebês, como forma de criar e fortalecer os laços familiares entre eles. Afinal, existe ali, do lado de dentro, um serzinho atento, prestando atenção em tudo o que está acontecendo.

Veja 5 maneiras de estimular o bebê na barriga:

5 maneiras de como estimular o bebê na barriga

1. Massagear a barriga

Passar as mãos na barriga e sentir que há uma pessoa crescendo ali dentro é, sem dúvidas, algo emocionante para mamães, papais e familiares próximos. O que nem todo mundo sabe é que esse toque carinhoso é benéfico também para o próprio bebê.

A sensibilidade ao toque surge por volta da 20ª semana de gravidez. A partir desse período, o bebê passa a sentir e até a reagir, seja com uma leve aceleração dos batimentos cardíacos ou empolgadas piruetas, aos carinhos e massagens recebidos.

Como fazer: o ideal é que esse momento aconteça em um lugar tranquilo para que a experiência seja aproveitada ao máximo tanto pela mãe quanto pelo bebê. A massagem deve ser constante e os movimentos podem ser circulares ou vai e vem em diferentes direções.  

Através do toque, o bebê pode se sentir calmo e relaxado mesmo ainda dentro do útero. Além disso, de acordo com médicos especialistas, os carinhos recebidos ainda na barriga ficam gravados no subconsciente do bebê e podem ter o mesmo efeito calmante quando repetidos após o seu nascimento.

2. Ouvir música

Também por volta da 20ª semana, pouco antes dos 5 meses completos, o bebê já consegue ouvir. Conforme se desenvolvem, os bebês não só escutam como percebem e compreendem os sons ao seu redor.

Nos últimos meses de gravidez, há bebês que, inclusive, viram a cabeça em resposta a estímulos sonoros.

Estimular a audição do bebê ainda na barriga é tão poderoso para o desenvolvimento da linguagem após o nascimento que, antes de nascer, os pequenos conhecem a voz da mãe, seu idioma nativo, padrões de palavras e até rimas.

Como fazer: para aumentar as chances de sentir uma reação do seu bebê enquanto vocês curtem um som juntos, prefira fazer isso depois de comer. Afinal, após as refeições o bebê tende a se mexer mais porque recebe a glicose da alimentação.

Sobre o tipo de música, tudo depende do gosto musical da mãe. Qualquer gênero musical está liberado! No entanto, quanto mais variações sonoras, maiores serão os estímulos cerebrais e, consequentemente, as redes neurais criadas. Nesse quesito, as músicas clássicas são uma boa pedida.

3. Ler histórias para o bebê

Como estimular o bebê ainda na barriga durante a gravidez

Como você já percebeu, os bebês reconhecem e reagem a estímulos sensoriais desde muito cedo. Eles inclusive são capazes de reconhecer as vozes dos pais. Assim como a música, ler histórias para o bebê também é uma forma de estimular a audição e ajudar o pequeno a reconhecer as vozes das pessoas com quem ele vai conviver após o nascimento.

Ler para o bebê ainda na barriga possui vários benefícios! Por exemplo: ajuda no desenvolvimento do raciocínio, na percepção sensorial e no processo de desenvolvimento da linguagem. Além disso, dentro do útero o bebê consegue se envolver ao sentir as diferentes vibrações e emoções contidas na fala dos pais na hora de ler uma história.

Criar esse momento relaxante de leitura fará bem não só para o pequeno a caminho, mas também para os pais e os familiares próximos. O hábito da leitura na gravidez fortalece as relações de afeto, promove o bem-estar da mãe e tranquiliza o bebê.

Como fazer: escolha livros infantis de qualidade literária que possam ser lidos para o bebê também após o seu nascimento. Ler as mesmas histórias depois do nascimento pode acalmar e relaxar o bebê, pois ele estará ouvindo algo que já conhece.

Se você quer dicas de livros e como ler para seu bebê, baixe nosso e-book gratuito 30 livros para bebês que ajudam no desenvolvimento infantil.

4. Um pouco de luz faz bem

Até aqui você já viu como estimular o tato do bebê, por meio da massagem, e a audição, por meio da música e da leitura.

Apesar da visão do bebê não ser perfeita quando ele ainda está dentro da barriga da mãe, a partir da 24ª semana o pequeno é capaz de identificar quando há luz do lado de fora. Ou seja, o bebê percebe a variação na claridade quando a mãe sai de dentro de casa e vai passar um tempo ao ar livre, por exemplo.

Portanto, é possível estimular a visão do bebê por meio de diferentes fontes de luz.

Como fazer: tomar sol é a sugestão número um. Além da fonte de luz, o sol aumenta a sensação de bem-estar, faz bem à saúde da pele, sintetiza a vitamina D, bronzeia o corpinho — só vantagens. No entanto, é fundamental usar protetor solar! 

Outra forma de estimular a visão do bebê por meio da luz é usando uma lanterna. Nas últimas semanas de gravidez, no final do terceiro trimestre, é possível chamar a atenção do bebê passando uma lanterna na barriga da mãe. Isso pode ser feito com a lanterna do celular.

E não há motivo para se preocupar: a incidência de luz é pequena e não prejudica a visão do seu pequeno.

5. Variar na alimentação

O que você anda comendo durante a gravidez pode ser saboreado também pelo bebê, ainda na barriga. Essa degustação de sabores acontece por meio do líquido amniótico.

Para quem não sabe, o líquido amniótico é o fluido que preenche a bolsa amniótica e envolve o bebê durante toda a gestação. Composto basicamente de água, nutrientes, hormônios e proteínas, o sabor do líquido pode ficar mais salgado, mais adocicado ou mais amargo de acordo com a alimentação da mãe.

E essas variações podem influenciar nas preferências alimentares do bebê mais tarde, após o seu nascimento.

Como fazer: uma alimentação variada, contendo legumes, frutas e diferentes tipos de proteína, grãos, entre outros elementos, faz bem em qualquer época da vida. No entanto, durante a gravidez, consulte sempre um médico para saber se existe qualquer contraindicação.

Agora que você já sabe como estimular o bebê na barriga, aproveite para unir o útil ao agradável e crie memórias incríveis dessa fase tão especial. Para te ajudar, criamos também um kit de estímulos, um material incrível com dicas para você estimular seu bebê ainda na barriga e fortalecer os laços desde antes de seu nascimento!

Assine o Clube Quindim

APROVEITE ESTE MOMENTO PARA INCENTIVAR A LEITURA!