Inspiração e representatividade: conheça 9 personagens negras infantis

Repleto de imaginação, aventuras e um olhar livre, o mundo infantil precisa também ser um espaço para a representatividade. Nessa fase, em que os pequenos estão mais propensos a aprender sobre convívio, respeito e compartilhamento, é preciso inserir na literatura obras que os ajudem em seu próprio reconhecimento. Personagens negras, por muito tempo, não eram os protagonistas na literatura infantil – e ainda há um importante caminho a ser percorrido nesse sentido para igualar aos personagens brancos. Felizmente, hoje essa representatividade negra infantil é um pouco mais comum, inspirando crianças e oferecendo mais esperança às gerações de mães e pais, que buscam uma sociedade mais igualitária. Conheça alguns títulos já enviados pelo Clube de Leitura Quindim que trazem à tona importantes temas contados sob a perspectiva de personagens negras. 

Livros com personagens negras para pré-leitores (0 a 2 anos)

personagens negras da literatura infantil: livros para bebes: a mãe que voava
Escritora: Caroline Carvalho
Ilustradora: Inês da Fonseca
Editora: Aletria

A mãe que voava

Começamos a nossa lista de personagens negras com a pequena Alice. Com uma imensa admiração por sua mãe, a pequena se encanta com todos os afazeres feitos por ela, que voava livre pela casa. A narrativa do livro demostra a conexão dos filhos com a figura materna. De maneira leve, a história expõe a quebra do “cordão umbilical”, quando a mãe volta a trabalhar, a estudar ou a ficar mais tempo fora de casa. Ao mesmo tempo, a obra, escrita por Caroline Carvalho e com ilustrações de Inês da Fonseca, traz a perspectiva ao estereótipo da supermãe – lugar dificilmente alcançado e que precisa, cada vez mais, ser desmistificado.

Livros com personagens negras para leitores iniciantes (3 a 5 anos)

personagens negras: representatividade negra na literatura infantil: ombela
Escritor: Ondjaki
Ilustradora: Rachel Caiano
Editora: Pallas

Ombela: a origem das chuvas

Ombela significa chuva em umbundu, e é o nome da deusa que protagoniza esse conto africano. Os mais velhos dizem que a chuva nasceu da lágrima de Ombela. Ela, que estava triste, resolveu chorar. Mas, preocupada em não prejudicar as pessoas e os animais habitantes da Terra, a deusa permitiu que suas lágrimas tivessem sal, para alimentar os mares. De autoria de Ondjaki e ilustrações de Rachel Caiano, o livro narra uma importante e emocionante troca de Ombela com seu pai sobre sentimentos.

Livros com personagens negras para leitores autônomos (6 a 8 anos)

personagens negras: representatividade negra na literatura infantilhistórias da preta heloísa pires lima laurabeatriz
Escritora: Heloísa Pires Lima
Ilustradora: Laurabeatriz
Editora: Companhia das Letrinhas

Histórias da preta

O próximo livro da nossa lista de personagens negras é Histórias da Preta. Nessa obra, Camila, a tia de Preta, apresentou à menina histórias dos povos da África, pessoas que foram obrigadas a vir ao Brasil à força. Arrancado de suas Terras, esse povo teve sua liberdade perdida, mas sobreviveu à escravidão e construiu uma história de resistência e muita luta. De autoria da Heloisa Pires Lima e ilustrações de Laurabeatriz, o livro indaga sobre ser negro nesse País. De conto em conto, a personagem Preta narra as cores que fazem uma pessoa negra.

Livros com personagens negras para leitores fluentes (9 a 12 anos)

personagens negras da literatura: zumbi assombra quem
Escritor: Allan da Rosa
Ilustrador: Edson Ikê
Editora: Nós

Zumbi assombra quem?

Do escritor Allan Rosa e ilustrações de Edson Ikê, a primeira obra com personagens negras recomendada para os leitores fluentes conta a história de Candê, um menino negro. Por meio de suas vivências, ele vê que existem dois tipos de zumbis: o morto-vivo estabelecido pela mídia e Zumbi dos Palmares, líder do Quilombo dos Palmares e retrato da luta pela libertação do povo negro no nosso país. Candê entende, por meio de influências externas, que o zumbi, uma pessoa negra, era uma espécie de morto-vivo do mal. Graças à narrativa de seu familiar, o Tio Prabin, o menino tem acesso à história de Zumbi dos Palmares. A partir de então, ele se conecta com sua história, sente suas dores e entende que sua trajetória muito se parece com o ícone do período da escravidão. O ilustrador dessa obra, Edson Ikê, também participou do Festival Literário Quindim On-line e conversou conosco sobre como criar crianças antirracistas, e você pode conferir essa conversa completa em nosso blog!

Veja também: Festival Literário: Como criar crianças antirracistas – a estética além da representatividade na literatura infantil

personagens negras: como mudar o mundo
Escritora: Stela Barbieri
Ilustrador: Fernanda Vilela
Editora: FTD

Como mudar o mundo

Inspirado nos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, sugeridos pela ONU, este livro narra histórias em diferentes regiões do mundo, culturas e crenças. Os contos são influenciados por contextos populares, costumes e, alguns, em mitos. As narrativas contam a trajetória de personagens e comunidades que, não distante da realidade de muitas pessoas, precisam encarar grandes desafios – como saúde, educação, alimentação, entre outras questões tão reais na atual sociedade. E fica a pergunta: como, então, fazer algo relevante para mudar o mundo? Os autores Fernando Vilela e Stela Barbieri mostram que bastam pequenos gestos para fazer a diferença e resultar em transformações significativas.

personagens negras: origens
Escritores: Diversos
Ilustrador: Fabio Maciel
Editora: Editora do Brasil

Origens

Retrato da diversidade brasileira: esse é o livro Origens. Os autores Alexandre de Castro Gomes, André Kondo, Eliane Potiguara, Luis Eduardo Matta e Sonia Rosa contam suas histórias e memórias. Eles recriam narrativas de seus ancestrais e as conectam com o presente. Celebração das raízes, igualdade e diversidade. Você pode conhecer um pouco mais sobre a obra e outros livros para refletir sobre quem nós somos em nosso blog!

Veja também: Livros infantis para descobrir quem nós somos

personagens negras: a cor da ternura
Autora: Geni Guimarães
Editora: FTD

A cor da ternura

O tom da pele é parâmetro para julgamentos. Isso faz que, desde muito cedo, pessoas pretas sejam condicionadas a ter comportamentos cautelosos e preocupações as quais pessoas brancas sequer pensariam ao longo de toda sua vida. É sob essa narrativa que a obra mostra, em memórias dolorosas e belas da autora Geni Guimarães, o peso da cor no Brasil. Um exemplo clássico acontece quando Geni, penúltima filha de uma família grande de oito irmãos, começa a ir pra escola. Sua mãe, cautelosa, pede cuidado extra à menina com sua higiene, enquanto sua amiga branca, a Janete, não se preocupa com tal julgamento.

personagens negras: representatividade negra na literatura infantil: Dois meninos de kakuma
Autora: Marie Ange Bordas
Editora: Pulo do Gato

Dois meninos de Kakuma

Elaborada a partir da experiência e convivência da autora Marie Ange Bordas, a obra relata a história de dois amigos inseparáveis, o Geegi e o Deng. Vivendo em Kakuma, campo de refugiados localizado no Quênia, eles mostram seus dias como refugiados e compartilham de memórias, dores e alegrias. As fotos e ilustrações retratam uma realidade repleta de história de um povo que se vê obrigado a deixar suas casas, fugindo de guerras. Você pode conferir um pouco mais sobre a obra em nosso canal do YouTube!

personagens negras: representatividade negra na literatura infantil: foi ele que escreveu a ventania. Rosana Rios Ilustrador Mauricio Negro
Escritora: Rosana Rios
Ilustrador: Mauricio Negro
Editora: Pulo do Gato

Foi ele que escreveu a ventania

O último livro da nossa lista de personagens negras é Foi ele que escreveu a ventania. Nele, Tui encontra um amparo para suas aflições por meio da poesia. Após ler e se encantar com uma obra que ganhou de presente, ele decide criar seu poema, invocando uma ventania para os dias mais quentes. Com Rosana Rios assinando o texto, e Mauricio Negro nas ilustrações, o livro traz uma importante reflexão da importância e magia da poesia. Você pode conhecer um pouco mais sobre a obra e outros livros para a leitura em família em nosso blog!

UM DEPOIMENTO DA ESCRITORA DA MATÉRiA

Estava lendo uma das obras descritas nesta matéria, A mãe que voava, junto com meu filho, o Davi. Empolgado com a narrativa, em um determinado momento ele parou, apontou para a mamãe da personagem e disse, com muita firmeza: ‘mamãe, ela se parece com você, né?’. Naquele momento, meu coração se encheu de alegria e o verdadeiro propósito do texto se concretizou bem ali, na minha frente, ao ver o olhinho do Davi brilhando. A representatividade é, sim, de extrema importância e nossos pequenos precisam crescer sabendo que podemos ocupar todos os lugares.

Assine o Clube Quindim

APROVEITE ESTE MOMENTO PARA INCENTIVAR A LEITURA!