O livro na escola: tipos de leitura em sala de aula que vão além das fichas de leitura

Leitura e escola sempre tiveram uma relação estreita. O livro é um objeto que remete à instituição escolar e ainda é lá que muitas crianças têm o primeiro acesso a ele. Entretanto, muitas vezes, a literatura aparece na sala de aula apenas com o intuito de apresentar e avaliar a interpretação de texto dos alunos, nas famosas fichas de leitura. Apesar de elas serem uma das dimensões de formação das competências leitoras, há outras maneiras da literatura estar presente na sala de aula e elas são complementares, ou seja, quanto mais livros, melhor. Por isso, o Clube Quindim mostra 3 tipos de leitura em sala de aula que vão ajudar a formar um leitor para toda a vida.

Confira os tipos de leitura em sala de aula

1. Leitura feita em voz alta pelo professor

Tipos de leitura em sala de aula. Leitura em voz alta pelo professor

Nesse tipo de prática, o objetivo é aproximar as crianças do mundo das histórias e proporcionar o prazer através das narrativas. Não é necessário discutir o livro com os alunos ou propor algum tipo de tarefa. 

Quando o professor lê em voz alta, apresenta para aquele grupo histórias que eles ainda não conhecem ou ainda conseguem ler sozinhos. Nessa leitura, é importante que ele conheça bem o livro, que invista nas entonações e no contato visual. Compartilhar histórias é uma forma de demonstrar afeto e estreitar vínculo com os alunos, por isso, é importante que o professor embarque genuinamente na aventura com a turma.  

Os livros em capítulos são ótimos para esses momentos, pois dão um gostinho de quero mais, fazendo que os leitores esperem ansiosos pela próxima parte. A leitura em voz alta feita pelo professor é uma ponte para a leitura individual. Muitos alunos costumam ir às bibliotecas procurar livros que acabaram de ser lidos em sala de aula pois já conhecem um pouco da história e se sentem mais preparados para outra experiência de leitura. 

2. Leitura individual

tipos de leitura em sala de aula - leitura individual

Dentre os tipos de leitura em sala de aula, é interessante planejar um momento em que os alunos possam ler sozinhos um livro que escolheram. É no momento da leitura individual que a criança vai dialogar com o texto e com as imagens, deparando-se com a necessidade de compreender o livro sem a ajuda do outro, buscando estratégias pessoais e desenvolvendo competências.

Assim como os outros tipos de leitura em sala de aula, a leitura individual pode acontecer ao término de uma atividade, entre uma atividade e outra ou no final do dia, oferecendo um respiro no conteúdo escolar. 

Frequentar a biblioteca escolar é outra prática importante para a rotina do professor. Nessas visitas, a criança pode observar os títulos dispostos nas prateleiras, ler as contracapas e o início das obras, experimentando diferentes tipos de livro e formando seu gosto literário. 

O papel do professor tem um tanto de curador e conselheiro. Ele pode fazer uma seleção prévia das obras que vão ser oferecidas como empréstimo naquele dia, escolher um gênero a cada semana ou deixar os alunos livres nessa escolha. 

Também é importante que o docente fique atento às leituras feitas por seus alunos, conversando com eles sobre o que andaram lendo e percebendo o gosto de cada um. Dessa forma, ele pode ajudar o leitor diante da variedade e até propor títulos diferentes para desafiá-lo. Caso se interesse pelo tema, você também pode conferir em nosso blog algumas dicas de atividades para alfabetização

Veja também: Atividades de alfabetização: 5 jogos divertidos para ajudar as crianças nessa fase

3. Leitura compartilhada

tipos de leitura em sala de aula leitura compartilhada

Outro tipo de leitura em sala de aula é a compartilhada, aquela que o professor faz com a turma e propõe uma discussão em seguida. O objetivo dessa prática é um aprofundamento na obra a partir das colocações dos alunos, construindo com o grupo um sentido coletivo. Isso pode ser feito a partir de perguntas abertas, que estimulem os alunos compartilharem suas impressões e questionamentos acerca do livro, lembranças e sentimentos evocados pela leitura.

O ideal é que a leitura compartilhada seja feita em roda, para que as crianças tenham contato visual umas com as outras na hora da discussão. É muito importante que, nesse momento, o professor seja mais um maestro do que um condutor, afinando a escuta dos alunos e deixando que eles respondam as perguntas uns dos outros. Quando fala sobre uma narrativa, o sujeito elabora melhor sua compreensão dela, reflete sobre ela, se aprofundando ainda mais. Na troca com seus pares, recebe ainda uma outra leitura, fazendo correlações e construindo um sentido mais amplo da obra. 

Veja também: Benefícios da leitura: muito além de aumento de vocabulário

Práticas complementares na leitura em sala de aula

Esses três tipos de leitura em sala de aula não se excluem, pelo contrário, são complementares e podem estar presentes no planejamento do professor, privilegiando momentos em que a leitura não seja acompanhada de uma atividade ou de um produto pedagógico. 

Sabemos que a avaliação dos alunos é requisito necessário no dia a dia escolar, principalmente para que o professor garanta a objetividade, mas ela também pode ser feita através da observação da participação dos alunos na leitura compartilhada ou em conversas sobre as obras que os alunos leram.  Afinal, esses vários tipos de leitura em sala de aula ajudam a desenvolver competências leitoras sem que as histórias se tornem algo pragmático. Quanto mais oportunidades de ler, aproximar-se das histórias e de relacionar-se com o livro a criança tiver, mais ela vai desenvolver suas competências leitoras.

A formação de leitores é um caminho com muitas paradas, encruzilhadas, ruas e avenidas diversas a serem atravessadas diariamente.  

Assine o Clube Quindim

APROVEITE ESTE MOMENTO PARA INCENTIVAR A LEITURA!