Você sabe qual a importância da poesia na escola e na primeira infância? O Clube de Leitura Quindim mostra para você como esse gênero pode ser trabalhado em sala de aula de forma muito rica.

Poesia na primeira infância

José Paulo Paes já dizia: “Poesia é brincar com as palavras como se brinca de bola, papagaio, pião.” Esse jogo em que o brinquedo não gasta, pelo contrário, se aprimora, já é conhecido desde os primeiros anos das nossas vidas. Quem não se lembra de comer ao som de “um, dois, feijão com arroz”, ou de brincar de “corre cotia na casa da tia”? As crianças pequenas são poetas genuínos, balbuciam, brincam com sílabas, sons e significados, nomeando o mundo que as cerca.

Parlendas, canções, ditados e brincadeiras faladas são uma grande herança cultural, a musicalidade, o ritmo e as repetições permitem que elas fiquem vivas anos e anos a fio nas nossas mentes, resguardando o tesouro para a próxima geração.

Veja também: Você sabe o que é parlenda? Conheça algumas parlendas infantis para brincar com as crianças

A importância da poesia na escola

Poesia na escola e poesia na primeira infância

Se a família é quem embala a criança nas primeiras formas poéticas, é a escola quem continua essa missão, oferecendo poemas e canções, limeriques e cordéis, versos rimados, repetidos, repletos de imagens, metáforas, sons e silêncios. Se na Educação Infantil esse contato é feito oralmente através de brincadeiras e contações de histórias, a partir do momento em que a criança começa a ler e a escrever, a poesia na escola se insere de uma outra maneira.

Os poemas aparecem agora nos livros, de forma mais complexa, às vezes sem rimas, pedindo uma leitura mais profunda. Por outro lado, muitos professores evitam inserir os poemas de sala de aula temendo uma linguagem que parece inacessível e de difícil compreensão. Se eles mesmos não conseguem entender o poema, como trabalhar isso com os alunos? Você também pode conferir mais sobre a importância da poesia em nosso blog!

Como trabalhar a poesia na escola

O primeiro passo, para alunos e professores, é ler, ler, ler. Ler em voz baixa e alta, reparando na sonoridade, nas imagens, se detendo em um verso, uma palavra, tentando criar imagens, percebendo as metáforas e os silêncios. Olhar para um poema como quem olha para um quadro, deixando-se tocar por uma palavra, por uma sensação ou lembrança. A ideia de que precisamos compreender um poema, como algo a ser decifrado, diminui sua carga poética e afasta os leitores.

A poesia na escola pode ser apresentada de diversas formas que, assim como nos outros gêneros literários, são complementares. Se em um primeiro momento vamos ouvir, declamar e degustar poemas para crianças de diversos tipos, autores e temáticas, o segundo passo é uma análise da obra poética em sua forma e conteúdo e, para isso, uma única leitura é insuficiente. A profundidade dos poemas deve variar de acordo com a experiência do leitor já que, muitas vezes, é preciso que ele tenha algumas referências para aproveitar determinados poemas. Contextualizar autor, obra e momento histórico também ajuda a entender o poema de forma global. A música Cálice, de Chico Buarque, é um bom exemplo disso: descontextualizada da repressão da ditadura militar, a sonoridade da palavra pode ser compreendida apenas como um objeto para tomar vinho. Confira também em nosso blog mais sobre os tipos de leitura em sala de aula.

Veja também: 10 poemas para crianças amarem poesia

A poesia desse momento

Se o poema é uma forma escrita de um texto, a poesia pode estar em um gesto, uma revoada de passarinhos, na luminosidade do mar, em uma pintura, escultura ou num avião solitário que rasga o céu. A mesma cena pode ser vista por duas pessoas como algo poético ou corriqueiro, depende dos olhos de quem vê. Sensibilizar os alunos para a poesia do dia a dia é uma forma de transformar os olhares, instigando-os a perceber o intangível que transborda, o que passa sem ser visto, a poesia de cada momento, ajudando-os na apreciação e construção do texto poético.

A mágica que mexe com as palavras e a nossa subjetividade, é um exercício constante de observação, reflexão e produção de textos poéticos. Se nos primeiros momentos os alunos ficam presos às palavras rimadas, ao apreciar a poesia e analisar poemas variados, começam a perceber as possibilidades de criar imagens, metáforas, fazendo a poesia transbordar de seus versos.   

E, então, vamos brincar de poesia na escola?

Assine o Clube Quindim

APROVEITE ESTE MOMENTO PARA INCENTIVAR A LEITURA!