Duas práticas editoriais reconquistaram os leitores brasileiros em pleno século XXI: os clubes de assinatura e os clubes de leitura. Independentemente de suas singularidades, muitas vezes ambos os modelos são chamados de “clube do livro”, o que pode causar confusão. Mas como diferenciá-los?

O que são clubes de leitura?

Focados no ato de ler e em seus desdobramentos, os clubes de leitura são grupos organizados por editoras, livrarias, bibliotecas ou pessoas físicas para discutir um livro pré-selecionado e assuntos a ele relacionados.

Esse tipo de clube busca horizontalidade entre os participantes e, por isso mesmo, não conta com o comando de um palestrante, professor ou especialista na obra discutida, de forma que os leitores se sintam à vontade para compartilhar o que quiserem sobre o livro e sobre a compreensão que tiveram, descartando noções de certo e errado.

Como surgiram os clubes de leitura no Brasil?

Clube do livro. Livros enfileirados mostrando a lombada

Os clubes de leituras remontam aos salões literários parisienses (séculos XVII e XVIII) e brasileiros (séculos XIX e XX), mas a prática se tornou um fenômeno nas últimas décadas devido ao envolvimento de grandes editoras.

Em 2009, a Companhia das Letras foi pioneira ao criar um projeto de clube de leitura relacionado a seu catálogo. Numa ação tanto de fomento à leitura quanto de divulgação de seus livros, a editora incentivou a formação de clubes por todo o país e criou benefícios exclusivos para seus participantes. Logo o projeto se destacaria no mercado e mais clubes surgiriam, fossem eles ligados a casas editoriais e livrarias, fossem eles auto-organizados.

Pouco a pouco, a prática se tornou um fenômeno — e não apenas devido ao trabalho das editoras mas também de pessoas comuns.

Assine o melhor clube do livro infantil


Os clubes de leitura atualmente

Clube do livro infantil. Duas fileiras de livros coloridos

O Leia Mulheres é o maior exemplo do fenômeno que os clubes de leitura se tornaram. Criado em 2015 por Juju Gomes, Juliana Leuenroth e Michelle Henriques, o clube se propõe a ler e discutir apenas obras escritas por mulheres e rapidamente se tornou o maior clube do país, com grupos em centenas de cidades brasileiras.

Outros clubes começaram a se organizar e, em 2022, há diversos clubes espalhados pelos país, com os mais diferentes recortes e propostas, que se reúnem presencial ou virtualmente. Alguns exemplos são o Clube do Livro Feminista, Clube da Japan House + Quatro Cinco Um, Leituras Decoloniais, entre outros.

Veja também: Um clube do livro infantil vale a pena?

O que são os clubes de assinatura?

Clube do livro. Oilha de livros antigos na lateral direita de um fundo branco

Os clubes de assinatura, por sua vez, são um modelo de negócios e aproximam os livros dos leitores através da comodidade. Diferentemente do método usual de venda de exemplares (livrarias físicas ou e-commerce), esse tipo de clube se propõe a enviar periodicamente, em troca de uma quantia fixa mensal, um número pré-estabelecido de títulos a seus associados, sem que estes precisem sair de casa.

Veja também: O que é bibliodiversidade e qual a sua importância na formação do leitor

O surgimento dos clubes de assinatura no Brasil

Na obra O livro no Brasil: sua história, Laurence Hallewell identifica que o primeiro clube de assinatura do Brasil foi criado na década de 1940 por Mário de Andrade, Cândido Portinari e Aníbal Machado, e distribuía exemplares com poesias de Ovídio e Ribeiro Couto.

Com o passar dos anos, a modalidade conquistou o mercado e variados clubes de assinatura estavam ativos no país. Havia o Círculo Literário, o Clube do Livro Selecionado — da renomada casa editorial José Olympio — e, na década de 1970, o Círculo do Livro, o mais famoso clube de assinatura do século XX.

Esses são apenas alguns exemplos de clubes de assinatura do século passado.

Assine o clube quindim


Os clubes de assinatura no cenário atual

O que vem no kit do clube de leitura Quindim

Atualmente, o serviço de assinatura de livros também se destaca no mercado brasileiro, com clubes que atendem a leitores com diferentes preferências literárias. Livros inéditos ou recomendados por curadores convidados, livros para adultos, adolescentes ou crianças, para fãs de clássicos, para leitores de literatura contemporânea, edições especiais, edições já publicadas — há diversas opções que cada leitor pode encaixar em sua estante (e em seu bolso).

O Quindim é um desses clubes. Idealizado num projeto de conclusão de curso de MBA, o Clube Quindim nasceu em dezembro de 2016 reunindo pessoas que desejavam levar livros transformadores ao cotidiano das famílias brasileiras.

Ao oferecer três diferentes tipos de planos (um, dois ou quatro livros infantis por mês, acompanhados de mapas de leitura, guia do assinante e outros mimos especiais) a seus assinantes, ele traz possibilidades distintas para alcançar as mais diferentes realidades e tornar a leitura mais presente e acessível à população.

Desde sua fundação, o Clube Quindim já impactou mais de 15 mil crianças de todos os estados brasileiros, chegando a 1,5 mil cidades e entregando mais de 180 mil livros infantis selecionados por um time de curadoria de excelência e diversidade, que conta com nomes como Ana Maria Machado, Inácio Loyola Brandão, Daniel Munduruku, Marisa Lajolo, Ricardo Azevedo e vários outros.

São em torno de 500 títulos, 470 escritores e ilustradores, 28 países representados, mais de 50 gêneros literários e os mais diversos temas, linguagens e estéticas. Livros transformadores que desenvolvem não apenas o autoconhecimento, o pensamento crítico e autônomo, mas também aquilo que nos faz mais humanos: o afeto e a empatia.

Mas clube “do livro” ou clube de “assinatura”? Nesse caso, a resposta é fácil e clara. Clubes de assinatura são clubes do livro, uma vez que oferecem o objeto livro a seus associados. Um clube de leitura, por outro lado, não é o mesmo que “clube do livro”, pois o encontro não se centra no objeto em si, mas na leitura deste e em seus desdobramentos. De todo modo, independentemente se do livro ou de leitura, os clubes são um fenômeno sem igual, que conquista milhares pessoas Brasil afora. E, apesar das diferentes nomenclaturas, o que se faz importante é sempre o mesmo: aproximar todos desse que é um dos elementos mais preciosos do mundo e democratizar a leitura no país.

Como fazer parte do Clube Quindim

1. Acesse o site do Clube Quindim.

2. Escolha o plano ideal para sua família: aqui você pode escolher fazer uma assinatura mensal, semestral ou anual e quantos livros você quer receber: 1, 2 ou 4 livros por mês.

3. Finalize seu cadastro. Nosso kit é personalizado para cada criança! Então, nessa etapa é importante você nos informar a data de nascimento e o nome da criança que irá receber os livros. Assim, a criança terá acesso a uma diversidade de temas que estimularão seu desenvolvimento e que serão adequados para cada etapa da infância.

Pronto! Agora todos os meses vamos preparar seu kit com muito carinho para você poder incentivar esse ritual supergostoso da leitura compartilhada aí na sua casa! 😊

Gostou? Não deixe de fazer parte do clube de assinatura infantil com a melhor curadoria de livros infantis do país e viver momentos inesquecíveis com a leitura em família. Acesse agora mesmo o site do Clube Quindim e escolha o plano ideal para sua família!

Acesse o nosso FAQ ou WhatsApp para falar com nosso o time de atendimento.