Conheça os vários benefícios da pintura na educação infantil e deixe-os explorar as tintas, gizes e lápis de cor!

Pintar. Aí está uma coisa que as crianças amam fazer, seja com um potinho de tinta guache, um lápis de grafite, um marcador ou um giz de cera. Porém, você já conhece a importância da pintura na educação infantil?

Além de ser uma atividade que os entretém, a pintura tem um papel significativo em seu desenvolvimento cognitivo, motor e socioemocional, o que a transforma em algo ainda mais positivo e que deve ser estimulado pelos pais, avós, tios e cuidadores.

Clube de Leitura Quindim fala sobre os benefícios e a importância da pintura na educação infantil e sobre o que seu pequeno pode aprender com ela.

Qual é a importância da pintura na educação infantil?

Qual é a importância da pintura na educação infantil

Enorme. Inclusive, o assunto já foi abordado até mesmo em artigos científicos, como em Art in Early Childhood: Curriculum Connections, de Jill Englebright Fox e Stacey Berry, que afirma que, tradicionalmente, a arte vem sendo uma parte importante dos programas da primeira infância.

Friedrich Fröbel, pedagogo e pedagogista alemão que foi o fundador do primeiro jardim de infância, acreditava que as crianças pequenas deveriam se envolver na criação de sua própria arte e no desfrute da arte de outras pessoas.

Para Fröbel, as atividades artísticas eram importantes, não porque permitiam que os professores reconhecessem crianças com habilidades raras, mas sim porque encorajavam um “desenvolvimento completo e de todos os lados”.

Muito tempo depois, professores ainda continuam interessados neste desenvolvimento.

Como o próprio Fröbel reconheceu, criar arte e aproveitar a arte de outras pessoas e culturas é muito importante para o pleno desenvolvimento das crianças, e o propósito do artigo de Fox e Berry é justamente discutir a importância da arte na aprendizagem e desenvolvimento.

O artigo também diz que as atividades artísticas permitem que as crianças desenvolvam habilidades que podem ser aplicadas em várias outras áreas curriculares, além de desenvolver a confiança de expressar seus pensamentos e sentimentos através da arte.

É fato que “arte” compreende um conjunto bem amplo de atividades, mas o artigo menciona pelo menos cinco vezes o termo “pintura” (ou algum similar), além de ter duas referências que também abordam esta forma de manifestação artística, o que comprova como ela é realmente benéfica aos pequenos.

Quais são os benefícios da pintura na educação infantil?

A importância da pintura na educação infantil. Quais são os benefícios da pintura na educação infantil

O próprio artigo menciona os benefícios que a arte proporciona aos pequenos, divididos pelas diferentes áreas do desenvolvimento. Veja só:

Desenvolvimento socioemocional

Crianças pequenas sentem uma satisfação emocional quando se envolvem com criações artísticas, seja a modelagem com argila, o desenho com gizes de cera ou a colagem de retalhos de papel reciclados.

Tal satisfação vem do controle que as crianças possuem sobre os materiais utilizados e a da autonomia que possuem nas decisões que fazem em suas criações. Escolher o que farão e quais materiais usarão pode ser a primeira oportunidade que os pequenos têm de fazer escolhas e decisões independentes.

“Fazer arte” (com o perdão do trocadilho) também constrói sua autoestima ao dar a elas a oportunidade de expressar o que estão pensando e sentindo.

De acordo com R. Craig Sautter, em seu artigo An Arts Education School Reform Program, quando as crianças participam de atividades de arte com seus colegas de classe, o feedback que elas dão umas às outras constrói autoestima, já que as ajuda a aprender a aceitar críticas e elogios dos outros.

Pequenas atividades em grupo entre os pequenos também os ajudam a praticar importantes habilidades sociais, como esperar pela sua vez, compartilhar e negociar pelos materiais.

Veja também: A importância da amizade de infância para o desenvolvimento infantil

Desenvolvimento cognitivo

Para crianças muito pequenas, criar arte é uma atividade de exploração sensorial. Elas gostam da sensação de passar o giz no papel e de ver uma mancha de tinta crescer.

Constance Kamii e Rheta DeVries, em seu livro Physical Knowledge in Preschool Education: Implications of Piaget’s Theory, sugerem que explorar os materiais é muito importante porque é por meio da exploração que as crianças constroem conhecimento sobre os objetos que os rodeiam.

Atividades que se centram na arte também demandam que as crianças tomem decisões e façam autoavaliações. Bruce Klein, em The Hidden Dimensions of Art, descreveu quatro decisões que as crianças artistas tomam:

  1. Decidir o que elas mostrarão em sua arte, como uma pessoa, uma árvore ou um dragão.
  2. Escolher a mídia que será utilizada, o arranjo dos objetos em seu trabalho e a perspectiva que os observadores adotarão.
  3. Quão rápido ou quão devagar eles concluirão seu projeto.
  4. Como eles avaliarão sua criação.

Stephane Feeney e Eva Moravcik, por sua vez, dizem em A Thing of Beauty: Aesthetic Development in Young Children que, geralmente, as crianças avaliam suas obras de arte ao pensar sobre o que elas gostam e o que outras pessoas dizem a ela que é agradável.

Conforme as crianças crescem e se desenvolvem, seus objetivos com a criação da arte se movem para além da exploração de seus sentidos e passam a envolver o uso de símbolos. Elas começam a representar objetos, eventos e sentimentos reais em suas obras.

O desenho, particularmente, simboliza o que elas sabem e sentem. Esta é uma válvula de escape necessária para crianças com vocabulário limitado, quer escrito ou verbal, como mostra Elisa de la Roche em Snowflakes: Developing Meaningful Art Experiences for Young Children.

Este uso inicial dos símbolos nas obras de arte infantis é muito importante, pois dá uma base para um uso posterior das palavras para simbolizar objetos e ações na escrita formal.

Você também pode conferir em nosso blog mais sobre como estimular a criatividade infantil e ter ideias de como incentivar ainda mais os desenhos e pinturas dos pequenos.

Veja também: Como estimular a criatividade infantil? Descubra e aplique agora!

Desenvolvimento motor

A importância da pintura na educação infantil. Entenda porque você deve deixar seu filho pintar, rabiscar e desenhar à vontade

Enquanto criam arte, crianças pequenas desenvolvem seu controle sobre os grandes e pequenos grupos musculares, como mostra Joan Koster em seu livro Growing Artists: Teaching the Arts to Young Children.

Os grandes movimentos com os braços necessários para pintar ou desenhar em um cavalete ou em um grande papel no chão ajudam com a coordenação e a força.

Além disso, os movimentos menores com dedos, mãos e punhos, necessários para cortar com a tesoura, modelar argila, desenhar ou pintar em superfícies menores desenvolve a destreza e o controle na coordenação motora fina.

Com oportunidades similares para praticar, as crianças ganham confiança no uso das ferramentas para criar arte e, posteriormente, para escrever.

Ainda de acordo com Koster, criar arte também ajuda as crianças a desenvolverem a coordenação olho-mão. Elas decidem como fazer as partes se unirem em um todo, onde colocar os objetos e quais detalhes incluir, elas aprendem a coordenar o que veem com os movimentos de suas mãos ou dedos.

Tal coordenação é fundamental para uma série de atividades, incluindo a formação das letras e o espaçamento das palavras na escrita formal. Lembrando que você também pode conferir em nosso blog mais atividades de alfabetização e letramento.

Veja também: 11 atividades de alfabetização e letramento para os pequenos

9 brincadeiras com tinta para a educação infantil

A importância da pintura na educação infantil. 9 brincadeiras com tinta para educação infantil para se divertir com a criançada

Dada a importância da pintura na educação infantil, cabe a nós, então, criar oportunidades para que os pequenos possam desenvolver todas essas habilidades, como as seguintes:

  • Livros para pintar: uma das maneiras mais tradicionais é recorrer aos livros de pintar, que permitem aos pequenos usar vários materiais para colorir seus personagens favoritos ou novos protagonistas em seu imaginário, da tinta guache às canetinhas.
  • Pintura com as mãos e os pés: em vez de contar com pincéis, que tal usar as mãozinhas e os pezinhos para pintar? Além de divertido, essa é uma ótima maneira de guardar uma recordação de quando os filhos ainda eram tão pequenos e comprovar como eles crescem rápido.
  • Pintura com sal: em uma folha de papel ou caixa de papelão, façam desenhos com sal. Depois, com um conta-gotas, aplique corante alimentício diluído em água e veja como isso criará belos efeitos, texturas e padrões.
  • Tinta de gelo: ainda com corante alimentício e água, faça alguns cubos de gelo coloridos. Quando estiverem congelados, leve para o quintal ou para a calçada e brinque de pintar com as pedrinhas de gelo, que ainda ajudam a aliviar o calor dos dias de sol.
  • Sabonete colorido: o mesmo corante alimentício pode ser misturado com sabonete líquido para bebês e um pouco de água. Assim, além de ter uma tinta que sai fácil, você ainda incentiva as crianças a entenderem a importância da higiene!
  • Pincel de bolas de algodão: ao invés dos pincéis tradicionais, você pode usar prendedores de roupa com bolas de algodão. Então, é só molhar na tinta e sair carimbando uma cartolina ou outra superfície grande.
  • Tinta de amido de milho: para uma tinta cremosa e feita em casa, separe uma xícara de amido de milho, meia xícara de água fervendo, uma xícara de água fria e corante alimentício. Misture o amido com a água fria até dissolver e, então, coloque água quente até atingir a consistência desejada. Por fim, aplique o corante alimentício e use essa tinta cremosa para brincar!
  • Pincel de bolinhas: pegue algumas bolinhas de gude ou de borracha e molhe-as na tinta. Então, coloque uma folha de sulfite ou papel cartão dentro de uma bandeja e role as bolinhas pela folha. Continue fazendo isso até terminar o quadro de arte abstrata!
  • Pintura “espirrada”: a ideia consiste em pegar algum objeto, colocá-lo na tinta misturada com água e, então, jogar em uma cartolina ou papelão bem grande. Conforme o objeto bater na superfície, ele irá fazer uma mancha super divertida e colorida. Porém, tome cuidado com as roupas, paredes e tudo o que estiver ao redor: é melhor fazer isso no meio do quintal e com tinta lavável.

Muitas dessas brincadeiras com tinta para educação infantil fazem sujeira, é verdade, mas aquela sujeira saudável e gostosa. Por isso, o ideal é usar roupas mais velhas e ficar em algum lugar externo, combinado? Você pode conferir outras brincadeiras super divertidas em nosso artigo com 6 brincadeiras para fazer em casa.

Veja também: 6 brincadeiras em casa para os dias de quarentena

Pintura infantil: aprendizado e desenvolvimento muito além da brincadeira

Veja a importância da pintura na educação infantil

Depois de saber qual a importância da pintura na educação infantil com todo o devido embasamento técnico e científico, fica ainda mais claro como essa é uma atividade enriquecedora e que deve ser colocada em prática o mais cedo possível pelos pequenos.

Você já conhecia toda a importância da pintura na educação infantil? Sabe de outras brincadeiras com tinta para educação infantil? Deixe sua opinião aqui nos comentários e prepare-se para ver cores e mais cores aí em sua casa.

Assine o Clube Quindim

APROVEITE ESTE MOMENTO PARA INCENTIVAR A LEITURA!