Por quase duas décadas, as editoras infantis chegavam aos leitores sobretudo por meio de programas de Governo.