Seleções > Tá tudo bem, neném!

TÁ TUDO BEM, NENÉM!

Texto: Emmanuelle Houdart

Tradutores: Fabio Weintraub

Editora: Edições SM
Algo estranho está acontecendo na vida do neném. Estranhas criaturas andam rondando a sua rotina. Quem são esses desconhecidos que ao se revelarem ganham a simpatia do bebê e do leitor?
SINOPSE
Foto do resenhista Isabella Zappa
por Isabella Zappa

Algo estranho está acontecendo na vida do neném. Estranhas criaturas andam pegando suas coisas, sentando-se em seu troninho, brincando com seus brinquedos e nadando em sua banheira. Quem são esses desconhecidos que tomaram conta de sua rotina? Seres fantásticos que podem assustar, mas, quando vistos mais de perto, ganham a simpatia do neném e do leitor.

Para conhecer o mundo, o bebê usa seus sentidos. Entretanto, como ainda não reconhece muitas formas, cores ou objetos, é a partir do que observa que ele tenta dar conta da realidade que o cerca. Um emaranhado de tecidos pode ser um monstro e um brinquedo de cabeça para baixo na banheira é assustador. O bebê se assusta ao ver aquilo que não conhece e coloca na caixinha do medo, até que algo de conhecido desse objeto lhe seja revelado. 

É esse o principal assunto de Tá tudo bem, neném!, escrito e ilustrado por Emmanuelle Houdart. O conto de repetição apresenta as diversas encarnações do medo do bebê que brinca de esconde-esconde com os objetos de sua rotina. Se essa brincadeira é tão prazerosa é porque o bebê realmente acredita que o objeto sumiu e seu reaparecimento lhe soa como mágica.

Apesar do medo inicial, as criaturas são representadas com traços maternais e doces. Ou seja, ao se aproximar, a criança reconhece nelas seu ente mais próximo, a mãe, encontrando nelas traços familiares e desmistificando-as. A sereia embala o bebê enquanto ele toma sua mamadeira, o dragão veste tênis e joga bola com ele, o diabinho recebe o papel higiênico e o coelho tem o olhar terno. 

Se nas primeiras páginas duplas a criatura ainda é desconhecida é porque a criança ainda está escondida, com medo do que pode surgir. O ser se revela, quando o bebê se aproxima, passando a se relacionar com ela. Para que isso aconteça, é necessário que a criança veja o todo e não apenas uma parte. A mesma ludicidade que faz com que o bebê transforme uma caixa de papelão em um navio a faz acreditar que um pedaço de sapato escondido atrás da cortina é um jacaré. E é com essa capacidade imaginativa da criança (para alegria e para o medo) que a autora joga neste livro divertido e encantador. 

INFORMAÇÕES TÉCNICAS
Faixa etária: 3-5
Ano: n.d.
País: Suíça
ISBN: 9788541807395
DIMENSÕES E ACABAMENTO
20.4 cm x 13.4 cm x 0.5 cm
Peso: 231 g
Páginas: 40
COMPETÊNCIAS GERAIS BNCC
Comunicação, Autoconhecimento e autocuidado, Empatia e cooperação, Repertório Cultural
TIPOS DE LEITURA
Para se divertir
GÊNEROS
Álbum ilustrado, Parlenda
ASSUNTOS
Desenvolvimento emocional, Infância, Medo, Monstros, Animais reais e imaginários, Fantasia, Acolhimento, Imaginação
SOBRE EMMANUELLE HOUDART
Ilustradora premiada de livros infantis, formou-se nas faculdades de Belas-Artes de Sion e de Artes Visuais de Genebra. Ganhou o prêmio Bologna Ragazzi na categoria Ficção, em 2005.
leia mais...

CLUBE DE LEITURA QUINDIM

CNPJ 21.796.019/0001-66
atendimento@quindim.com.br
(11) 4563-6701

Site protegido por reCAPTCHA Enterprise e Google, de acordo com as Políticas de Privacidade e Termos de Serviço.
2022© Clube de Leitura Quindim - Marca registrada e todos os direitos reservados - versão 3.5.35