Seleções > Os livros de Sayuri

OS LIVROS DE SAYURI

Texto: Lúcia Hiratsuka

Editora: Edições SM
Carinho tem caqui bem maduro. Bronca é fruta que amarra na garganta. Os casulos do bicho-da-seda ensinam o tempo. Os pensamentos balançam sempre. Sayuri apreende a ver e ler a vida, desejando o caminho de registrá-la e redescobri-la nos livros.
SINOPSE
Foto do resenhista Peter O' Sagae
por Peter O' Sagae

Os livros de Lúcia Hiratsuka nascem enraizados em suas memórias de infância e família, colhidas com poesia, misturadas com terra costurada com água, num tempo que a chuva marcava a espera e o atraso para um compromisso, com imagens literárias e visuais que não se povoam de uma saudade das coisas distantes, no entanto, são portas e presenças vivas. Desta maneira, também Os livros de Sayuri se desdobram na novela de uma personagem que, um dia, viu, como a própria autora, os livros de casa serem guardados num caixote com palhas de milho e enterrados no quintal. Todos os livros. Nenhum deveria sobrar à vista, ao prazer da leitura, da busca de informação, da abertura para outros mundos.

No entanto, o mundo mesmo estava fechando suas fronteiras. O eco e a poeira da Segunda Guerra foi ouvido e veio se assentar no cotidiano de muitas pessoas, em diferentes cidades, comunidades rurais ou lugarejos distantes do fronte. Uma guerra também se faz com palavras e atitudes de desconfiança, e a narrativa retrata, ao fundo da figura da menina Sayuri, uma experiência comum a muitas família de japoneses e seus descendentes nipo-brasileiros pelo interior do Estado paulista. Não apenas livros e jornais foram proibidos; toda conversação era vigiada e escolas tiveram aulas suspensas, além de outras dificuldades com relação ao comércio e a comida racionada.

Os livros fechados realmente estavam mortos, tal como um livro escondido que não poderá seguir sua vocação para dialogar com alguém. Mas existe um mundo sensível da leitura do sabor de cada coisa, das plantas, dos animais simples, dos caminhos e insetos noturnos sob a luz do lampião. Existe o chão onde se pode desenhar letras e ideogramas de uma linguagem que nenhuma censura poderia apagar, mesmo quando o vento varre cada palavra. A aprendizagem de Sayuri é integrar-se à realidade, reconhecendo-se na sua escrita e na sua história.

INFORMAÇÕES TÉCNICAS
Faixa etária: 9+
Ano: 2017
País: Brasil
ISBN: 9788541818100
DIMENSÕES E ACABAMENTO
1 cm x 12 cm x 18 cm
Peso: 162 g
Páginas: 144
COMPETÊNCIAS GERAIS BNCC
Pensamento científico, crítico e criativo, Comunicação, Autoconhecimento e autocuidado, Empatia e cooperação, Repertório Cultural, Trabalho e Projeto de Vida, Argumentação
TIPOS DE LEITURA
Para refletir, Para se emocionar, Para conversar sobre temas difíceis
GÊNEROS
Novela, Realismo histórico, Realismo cotidiano
ASSUNTOS
Família, irmãos, Amizade, Livro, Segredo, Suspense, Guerra, Descoberta, Representatividade, Diversidade cultural, Identidade, Preconceito, Escola, História Geral, Protagonismo feminino, Discriminação, Contemporaneidade, Leitura, Identidades culturais, Aprendizado, Cultura, Censura, Xenofobia, História do Brasil, II Guerra Mundial
SOBRE LÚCIA HIRATSUKA
Lúcia Hiratsuka nasceu no interior do estado de São Paulo, em um sítio chamado Asahi próximo à cidade de Duartina. É deste universo caipira com um toque oriental que a escritora e ilustradora retira a inspiração para grande parte de suas histórias que une, com simplicidade e poesia, a arte da palavra e a narrativa por imagens. Desde os anos 1990, ela tem se dedicado ao estudo e à produção de livros para crianças, além de uma novela para jovens leitores. Já foi diversas vezes reconhecida com o Prêmio Jabuti, selos de “Altamente Recomendável” e outras distinções pela FNLIJ, com trabalhos publicados no Brasil e no exterior.
leia mais...

CLUBE DE LEITURA QUINDIM

CNPJ 21.796.019/0001-66
atendimento@quindim.com.br
(11) 4563-6701

Site protegido por reCAPTCHA Enterprise e Google, de acordo com as Políticas de Privacidade e Termos de Serviço.
2022© Clube de Leitura Quindim - Marca registrada e todos os direitos reservados - versão 3.5.35