Seleções > Frritt Flacc

FRRITT FLACC

Texto: Júlio Verne

Ilustração: Alexandre Camanho

Tradutores: Renata Calmon

Editora: Pulo do Gato
Uma história de terror com um nome estranho, uma espécie de ruído como algo que raspa rápido e bate insistentemente. É o vento que ruge, um fole para acender fogo, o arco cortando a corda que geme no violino? Ou a tormenta, a água que despenca?
SINOPSE
Foto do resenhista Peter O' Sagae
por Peter O' Sagae

Neste conto de Júlio Verne, publicado na França em dezembro de 1884, o leitor é conduzido até a pequena cidade de Luktrop na região costeira volsiniana, entre as montanhas de Crimma e o profundo mar de Megalocride. Na vizinhança, existe um vulcão ainda ativo, expelindo rolos de enxofre durante o dia e vomitando labaredas à noite, e também ruínas e mais um subúrbio adiante com suas construções de tetos arredondados com características árabes. É uma paisagem exótica que se ajusta muito bem ao slogan — “ler é viajar”, de acordo com o gosto de escritores e leitores de séculos passados — e o ilustrador Alexandre Camanho foi criando imagens que transmitem a sensação de saírem de antigos cadernos de viajantes, ao usar a técnica do bico de pena, a tinta nanquim e manchas de cor sépia como leituras sobrepostas do tempo.

No entanto, Luktrop não é uma cidade que se encontrará em qualquer mapa, diz o autor francês, iniciando o seu jogo literário e narrativo. E numa noite daquelas, chuvosa, a filha de Vort Kartif, o salgador de peixes, bate à porta do médico do lugarejo. No entanto, este não se encontra disposto a prestar socorro, uma vez que constituiu fortuna com serviços a famílias abastadas. Tempo depois, aparece a esposa de Vort Kartif à porta, mas o médico só tem interesse em dormir agasalhado da chuvosa noite. Mais tarde, é a vez da mãe do salgador de peixes vir e dizer ter o dinheiro para pagar adiantado pelo atendimento... Mas — e as muitas histórias de medo têm uma adversativa que nos arrepia, debaixo de uma noite fria — mas, o doutor recusa, titubeia e finalmente decide caminhar em auxílio ao próximo...

Que sintomas da vulnerabilidade humana nos causariam mais pena, asco ou temor pela própria vida? A morte preeminente ou a ganância ostensiva? Atento às minuciosas sugestões morais de um conto fantástico do final do século XIX, Alexandre Camanho intensifica o texto de Júlio Verne com uma interpretação visual fabular, apresentando os principais personagens como um lobo e galinhas nas ilustrações que pontuam as passagens da narrativa.

 

INFORMAÇÕES TÉCNICAS
Faixa etária: 9+
Ano: 2013
País: Brasil
ISBN: 9788564974197
DIMENSÕES E ACABAMENTO
30 cm x 19 cm x 0.8 cm
Peso: 374 g
Páginas: 72
COMPETÊNCIAS GERAIS BNCC
Autoconhecimento e autocuidado, Empatia e cooperação, Repertório Cultural, Trabalho e Projeto de Vida
TIPOS DE LEITURA
Para refletir, Para sentir medo, Para se emocionar
GÊNEROS
Álbum ilustrado, Narrativa de horror, Narrativa de fantasia, Conto
ASSUNTOS
Egoísmo, Morte, Altruísmo, Generosidade, Relações Humanas, Profissões, Crueldade, Terror, Avareza, Solidariedade, Código de honra, Medicina, Ética, Caráter moral
SOBRE JÚLIO VERNE
Júlio Verne é um famoso escritor francês — novelista, poeta e dramaturgo, conhecido por uma série de best-seller de viagens extraordinárias que elaborou em parceria com o editor Pierre-Jules Hetzel, incluindo Jornada ao centro da Terra (1864), Vinte mil léguas submarinas (1870) e Volta ao mundo em oitenta dias (1872), aliando a aventura de ficção às informações científicas e tecnológicas mais avanças de sua épocas e décadas vindouras. No meio de sua extensa produção literária, no entanto, também se encontram contos fantásticos, contos de terror, notas biográficas, canções e monografias de caráter científico, artístico ou literário. É um dos autores mais traduzido do mundo, estando entre Agatha Christie e William Shakespeare.
leia mais...
SOBRE ALEXANDRE CAMANHO
Foto do autor Alexandre Camanho
Alexandre Camanho é um renomado ilustrador brasileiro, com foco em livros de literatura para crianças e jovens. Nasceu em São Paulo, formou-se em comunicação social e artes plásticas, pela Universidade de São Paulo – USP e é também professor de comunicação visual, lecionando ilustração e projetos tridimensionais. Como ilustrador, trabalha para jornais, revistas e editoras, tendo recebido prêmios e a menção Altamente Recomendável da FNLIJ. Foi agraciado com o Prêmio Jabuti em 2015, na categoria de ilustração em livros infantis com o Os três ratos de Chantilly.
leia mais...

CLUBE DE LEITURA QUINDIM

CNPJ 21.796.019/0001-66
atendimento@quindim.com.br
(11) 4563-6701

Site protegido por reCAPTCHA Enterprise e Google, de acordo com as Políticas de Privacidade e Termos de Serviço.
2022© Clube de Leitura Quindim - Marca registrada e todos os direitos reservados - versão 3.5.35