Seleções > A mãe que voava

A MÃE QUE VOAVA

Texto: Caroline Carvalho

Ilustração: Inês da Fonseca

Editora: Aletria
O tanto de amor e encanto que há no olhar de uma criança por sua mãe pode ser visualizado neste livro. Uma bela tentativa de nos aproximarmos do que se passa nos sonhos e num coração pequenino.
SINOPSE
Foto do resenhista Dauana Vale
por Dauana Vale

A história é marcada pelo olhar infantil sobre a presença/ausência da mãe. Alice, como as crianças pequenas, está diante de muitas coisas pela primeira vez: separação da mãe e frustrações são algumas delas.

Alice vê a mãe como um ser especial, que transcende o físico e flutua pelos cantos da casa. É amor e carinho pra todo lado. Mas, quando sua mãe sai para trabalhar, a menina está diante do fato de que aquela mulher possui outras funções que não apenas a materna. E que a atenção da mãe não é exclusividade da filha. Entra em cena a figura paterna, que brinca, busca se conectar com a criança e compreende justamente a marca para o rompimento da relação simbiótica entre a mãe e o bebê. Essa relação geralmente estabelecida a partir do nascimento, quando na grande maioria dos casos, só a figura materna assume os cuidados: alimentar, banhar, ninar. Em relações heteronormativas, muitos homens se abstém de estar com as crianças com receio de não saber “fazer direito”, como se houvesse uma única maneira de cuidar da criança, algo que é cultural e reforçado também por mulheres. 

É possível explorar a história por meio apenas das ilustrações, e tente não censurar a criança quando ela interromper a sua leitura para expressar algo que a espante ou a faça sorrir. As cenas com a mãe que não finca os pés no chão da casa são imagens metafóricas e tomam o leitor pelo braço, fazendo-o olhar sob aspectos diferentes cada vez que ler. Outras características interessantes nas imagens são: o pai sem rosto, o que pode remeter aos tantos casos de crianças brasileiras crescidas com pais desconhecidos; e as personagens negras numa história que não trata de preconceito racial.

O final do livro sugere que, ao ouvir essa história, as crianças possam elaborar medos e o que pensam sobre as relações com mães e pais. Ampliar, inclusive, as formas de ser filho e filha.

INFORMAÇÕES TÉCNICAS
Faixa etária: 0-2, 3-5
Ano: 2018
País: Brasil
ISBN: 9788595260221
DIMENSÕES E ACABAMENTO
20 cm x 26 cm x 0.5 cm
Peso: 159 g
Páginas: 32
COMPETÊNCIAS GERAIS BNCC
Autoconhecimento e autocuidado, Empatia e cooperação
TIPOS DE LEITURA
Para refletir, Para se emocionar
GÊNEROS
Álbum ilustrado, Conto, Realismo cotidiano
ASSUNTOS
Família, Protagonismo negro, Paternidade, Maternidade, Solidão, Cotidiano, Infância, Amor, Mãe, Espera, Medo, Representatividade, Abandono, Sofrimento, Insegurança, Pai
SOBRE CAROLINE CARVALHO
Foto do autor Caroline Carvalho
Escritora, mediadora de leitura, atriz, contadora de histórias e professora. Tem bacharelado e licenciatura em Teatro pela FURB, especialista em Literatura Infantil pela PUC e Mestrado em Educação pela UNIVALI, em pesquisa voltada para a Literatura Infantil e a Contação de Histórias no espaço escolar e a formação de leitores. Atualmente é Professora Universitária na FURB no Departamento de Artes. Tem 7 livros publicados, dos quais três são em coletâneas com demais autores, e 4 livros de literatura para a infância publicados pela Editora Biruta e Editora Aletria.
leia mais...
SOBRE INÊS DA FONSECA
Foto do autor Inês da Fonseca
Licenciada, com pós-graduação em Design (IADE). Atua como diretora de arte. Teve sua estreia com livros infantis a partir da coleção Vou pensar nisto, nos anos de 2014/2015, com seis livros publicados. Já expôs na Gabriell Fine Arts em Londres e na primeira edição da Merc'art em Lisboa.
leia mais...

CLUBE DE LEITURA QUINDIM

CNPJ 21.796.019/0001-66
atendimento@quindim.com.br
(11) 4563-6701

Site protegido por reCAPTCHA Enterprise e Google, de acordo com as Políticas de Privacidade e Termos de Serviço.
2022© Clube de Leitura Quindim - Marca registrada e todos os direitos reservados - versão 3.5.35