Seleções > Tá tudo bem, neném!

TÁ TUDO BEM, NENÉM!

Texto: Emmanuelle Houdart

Tradutores: Fabio Weintraub

Editora: Edições SM
Algo estranho está acontecendo na vida do neném. Estranhas criaturas andam rondando a sua rotina. Quem são esses desconhecidos que ao se revelarem ganham a simpatia do bebê e do leitor?
SINOPSE
Foto do resenhista Isabella Zappa
por Isabella Zappa

Algo estranho está acontecendo na vida do neném. Estranhas criaturas andam pegando suas coisas, sentando-se em seu troninho, brincando com seus brinquedos e nadando em sua banheira. Quem são esses desconhecidos que tomaram conta de sua rotina? Seres fantásticos que podem assustar, mas, quando vistos mais de perto, ganham a simpatia do neném e do leitor.

Para conhecer o mundo, o bebê usa seus sentidos. Entretanto, como ainda não reconhece muitas formas, cores ou objetos, é a partir do que observa que ele tenta dar conta da realidade que o cerca. Um emaranhado de tecidos pode ser um monstro e um brinquedo de cabeça para baixo na banheira é assustador. O bebê se assusta ao ver aquilo que não conhece e coloca na caixinha do medo, até que algo de conhecido desse objeto lhe seja revelado. 

É esse o principal assunto de Tá tudo bem, neném!, escrito e ilustrado por Emmanuelle Houdart. O conto de repetição apresenta as diversas encarnações do medo do bebê que brinca de esconde-esconde com os objetos de sua rotina. Se essa brincadeira é tão prazerosa é porque o bebê realmente acredita que o objeto sumiu e seu reaparecimento lhe soa como mágica.

Apesar do medo inicial, as criaturas são representadas com traços maternais e doces. Ou seja, ao se aproximar, a criança reconhece nelas seu ente mais próximo, a mãe, encontrando nelas traços familiares e desmistificando-as. A sereia embala o bebê enquanto ele toma sua mamadeira, o dragão veste tênis e joga bola com ele, o diabinho recebe o papel higiênico e o coelho tem o olhar terno. 

Se nas primeiras páginas duplas a criatura ainda é desconhecida é porque a criança ainda está escondida, com medo do que pode surgir. O ser se revela, quando o bebê se aproxima, passando a se relacionar com ela. Para que isso aconteça, é necessário que a criança veja o todo e não apenas uma parte. A mesma ludicidade que faz com que o bebê transforme uma caixa de papelão em um navio a faz acreditar que um pedaço de sapato escondido atrás da cortina é um jacaré. E é com essa capacidade imaginativa da criança (para alegria e para o medo) que a autora joga neste livro divertido e encantador. 

INFORMAÇÕES TÉCNICAS
Faixa etária: 3-5
Ano: n.d.
País: Suíça
ISBN: 9788541807395
DIMENSÕES E ACABAMENTO
20.4 cm x 13.4 cm x 0.5 cm
Peso: 231 g
Páginas: 40
COMPETÊNCIAS GERAIS BNCC
Comunicação, Autoconhecimento e autocuidado, Empatia e cooperação, Repertório Cultural
TIPOS DE LEITURA
Para se divertir
GÊNEROS
Álbum ilustrado, Parlenda
ASSUNTOS
Desenvolvimento emocional, Infância, Medo, Monstros, Animais reais e imaginários, Fantasia, Acolhimento, Imaginação
SOBRE EMMANUELLE HOUDART
Ilustradora premiada de livros infantis, formou-se nas faculdades de Belas-Artes de Sion e de Artes Visuais de Genebra. Ganhou o prêmio Bologna Ragazzi na categoria Ficção, em 2005.
leia mais...
Cartão MasterCard
Cartão Visa
Cartão Amex
Cartão Diners
Cartão Elo
Cartão Hipercard
Selo de segurança da Cloudflare

Clube de Leitura Quindim

Al. dos Maracatins, 548 - Cj. 04 | Moema

04089-001 | São Paulo-SP

Site protegido por reCAPTCHA Enterprise e Google, de acordo com as Políticas de Privacidade e Termos de Serviço.
2022© Clube de Leitura Quindim - Marca registrada e todos os direitos reservados - versão 3.5.49