Menina bonita do laço de fita e outros livros da Ana Maria Machado que você precisa conhecer

Ana Maria Machado é uma das maiores autoras de literatura infantil de nosso país. Vencedora do prêmio internacional Hans Christian Andersen, considerado o Nobel da literatura infantil, a escritora possui uma vasta lista de livros publicados. Alguns mais famosos como o livro infantil Menina bonita do laço de fita e outros nem tanto, que você vai poder conhecer aqui na nossa lista de livros da Ana Maria Machado! Vale lembrar que a autora também é curadora do Clube de Leitura Quindim e ajuda a selecionar, junto a Ziraldo e outros grandes especialistas da área, os livros de qualidade literária que enviamos mensalmente para a casa de nossos assinantes. Confira abaixo algumas das obras de Ana Maria Machado:

9 Livros da Ana Maria Machado

Escritora: Ana Maria Machado
Ilustrador: Claudius
Editora: Ática

Menina bonita do laço de fita

Esse é um dos livros da Ana Maria Machado de maior sucesso, tanto que já se tornou um grande clássico da literatura infantil, com sua primeira publicação datada de 1986. Talvez você já tenha lido ou se deparado com o livro Menina bonita do laço de fita durante a sua vida. Mas, caso nunca a tenha lido, o que está esperando para conhecer o coelhinho albino que é apaixonado por uma menina bonita do laço de fita e quer muito descobrir o segredo de sua beleza? 

Veja também: 12 clássicos da literatura infantil que as crianças precisam conhecer

Escritora: Ana Maria Machado
Ilustradora: Maria Eugênia
Editora: FTD

Dona Baratinha

Dona Baratinha quer casar, mas quem será o bicho sortudo que terá a honra de ser seu noivo? E passa o boi, o gato, o bode… Mas parece que nenhum pretendente está à altura dessa baratinha! Até que ela finalmente encontra o seu par e acompanhamos os preparativos da grande festa de casamento. Só que algo inesperado acontece no grande dia. O que será? Conheça a saga dessa baratinha em busca do amor e aproveite para dar boas risadas junto dos pequenos!

Escritora: Ana Maria Machado
Ilustradora: Mariana Newlands
Editora: Salamandra

Bisa Bia, Bisa Bel

Além do livro A menina bonita do laço de fita, Bisa Bia, bisa Bel, é outra das histórias de Ana Maria Machado de grande sucesso. Nesta obra, que já é um clássico da literatura infantil brasileira, Ana Maria Machado narra o livro em três tempos diferentes. Aqui, conhecemos a menina Isabel, mas também a sua vivência imaginária com a sua bisavó Bia e a sua futura relação com sua bisneta. Um dos aspectos muito interessantes dessa obra é justamente perceber as diferenças geracionais que vão se mostrando ao decorrer da narrativa. E, por isso, é um obra que pode ser muito divertida de se ler junto das crianças, mesmo que elas já estejam conseguindo ler sozinhas. Afinal, não é porque os pequenos já estão maiorzinhos que não podemos mais desfrutar de ótimos momentos proporcionados pela leitura compartilhada!

Escritora: Ana Maria Machado
Ilustradora: Marilda Castanha
Editora: Global

Maré baixa, maré alta

Esta obra da nossa lista de livros da Ana Maria Machado vai agradar especialmente os pequenos que gostam de praia! Aqui, acompanhamos o dia da pequena Luísa brincando no mar, na areia, construindo castelos e vendo os caranguejos. Se o seu pequeno também se diverte à beça na praia, então esse livro é para você. Descubra o mundo de fantasia que a pequena Luísa constrói a partir de elementos comuns do cenário! 

Escritora: Ana Maria Machado
Ilustrador: Maurício Negro
Editora: Global

Gente, bicho, planta: o mundo me encanta

Esse é um dos livros da Ana Maria Maria Machado com uma mensagem ecológica muito potente. Aqui descobrimos como os animais e as plantas são muito importantes para o equilíbrio da natureza e que precisamos preservá-los. Embora o livro acabe parecendo muito educativo após essa descrição, não se engane! Os três contos que compõem a obra são muito divertidos e cativantes, mesmo que tragam vários conceitos de ecologia e sustentabilidade dentro da narrativa. Além disso, é um ótimo livro para a fase da alfabetização das crianças!

Veja também: 10 livros para a fase de alfabetização

Autoras: Ana Maria Machado e Luísa Baeta
Editora: Editora do Brasil

Curvo ou reto

Essa é uma obra muito especial feita por mãe e filha e que funciona muito bem principalmente com crianças menores e até como livro para bebê. Aqui, contemplamos uma sequência de fotos de cenas e objetos do nosso cotidiano onde curvas e retas se encontram. Conduzida de forma poética, a narrativa nos faz lançar um olhar novo sobre as sombras e as formas. E aí? Será que você e o seu pequeno conseguem encontrar outros objetos ao seu redor que sejam formados por curvas e retas?  

Escritora: Ana Maria Machado
Ilustrador: Dave Santana
Editora: Gaudí

Brinco de listas

Essa é uma coletânea de poemas de Ana Maria Machado que traz elementos do dia a dia e aproveita para brincar com as palavras, esticando-as e puxando-as, da mesma forma como as crianças durante o período de aquisição da linguagem. Esse livro também questiona a rotina, as convenções e obrigações e pode ser uma ótima forma de refletir sobre o tema com os pequenos. Então, se você gosta de poesia, precisa conferir essa obra com poemas para meninas e meninos se encantarem com esse gênero e veja também em nosso blog mais poemas para as crianças amarem poesia

Veja também: 10 poemas para crianças amarem poesia

Autores: Ana Maria Machado e Claudius
Editora: Salamandra

Mico maneco

A série Mico Maneco é um dos clássicos da literatura infantil brasileira e é uma das histórias de Ana Maria Machado que também é um ótimo livro para alfabetização infantil, além de trazer personagens típicos da nossa fauna como protagonistas. Aqui acompanhamos a história do arteiro Mico Maneco que vive arranjando confusão com a macaquinha Mona e adora comer bananada. Que tal conhecer essa série de livros com os pequenos?  

Escritora: Ana Maria Machado
Ilustrador: Renato Alarção
Editora: Ática

História meio ao contrário

O último dessa lista de livros infantis da Ana Maria Machado é História meio ao contrário. O que será que acontece depois do “felizes para sempre”? Bem, nessa obra, o que ocorre é que o príncipe e a princesa não estão satisfeitos com os seus finais felizes e querem ter a liberdade de fazer a própria história. Se delicie com as surpresas dessa trama e aproveite para pensar com o seu pequeno: o que será que ocorre depois do “felizes para sempre”?

APROVEITE ESTE MOMENTO PARA INCENTIVAR A LEITURA!


Temas atuais para a geração atual

Outubro foi o mês de temas super atuais passarem pelo Clube Quindim. Afinal, o que poderia ser melhor do que um bom livro para levantar reflexões sobre assuntos tão relevantes como o desmatamento, a descolonização cultural e a aceitação corporal? Com essa seleção especial de livros, os pequenos leitores poderão se divertir muito e refletir ao mesmo tempo, além de entrarem em contato com grandes autores da literatura infantil como Manuel Bandeira, Ana Maria Machado, João Carlos Marinho e Frank Tashlin. Contamos ainda com a nova obra de Ana Maria Machado e a edição comemorativa de 50 anos de O gênio do crime, que foram enviadas para os nossos leitores antes mesmo de serem lançadas nas livrarias!

Livros infantis com temas atuais

Pré-leitor (0 a 2 anos)

Autora: Cris Eich
Editora: Bamboozinho

Cadê os bichos?

Quais animais o seu bebê conhece? Provavelmente, animais como girafa, elefante e urso fazem parte da resposta, mas e quanto aos animais da fauna brasileira? Construir repertório é algo contínuo, que se faz dia a dia e essa obra apresenta animais característicos da nossa fauna, que, muitas vezes, por conta da colonização cultural que sofremos, não fazem parte da cultura e do repertório da primeira infância. Em Cadê os bichos?, mãe e filha vão passear na floresta e conhecer os animais da fauna brasileira, mas o bicho homem também passou por lá e deixou sua marca, enquanto os bebês se divertem e aprendem com essa história, os leitores mais experientes serão tocados pelo seu final abrupto e real.

Autor: Manuel Bandeira
Ilustrações: Gian Calvi
Editora: Global

Trem de ferro

Este clássico da poesia brasileira de um dos grandes autores da nossa língua é apresentado aos pequenos leitores em uma edição com ilustrações ricas em detalhes e narrativas paralelas! “Café com pão! Café com pão!” Transforme a leitura numa grande brincadeira se entregando às rimas desse livro e explorando sem medo os ritmos que imitam a locomotiva. As crianças vão adorar toda a diversão que os sons da leitura dessa obra pode trazer.

Leitor iniciante (3 a 5 anos)

Autora: Ana Maria Machado
Ilustrações: Dave Santana
Editora: Gaudi

Brinco de listas

Nesta antologia de poemas, uma das maiores escritoras da literatura infantil brasileira parte de elementos do dia a dia e da rotina para criar poemas nos quais brinca com sons, rimas, ritmos, imagens e significados. Com esta obra que os leitores do Clube Quindim receberam antes mesmo das livrarias, Ana Maria Machado comemora 50 anos de carreira, esticando e puxando as palavras assim como as crianças gostam de fazer durante essa fase da aquisição da linguagem. Ao mesmo tempo, trata de temas atuais como as rotinas, as obrigações e as convenções do dia a dia de maneira leve e inteligente.

Autora: Irena Freitas
Editora: Edições Barbatana

Manaus

Esta obra é um delicioso passeio pela capital do estado do Amazonas, em plena floresta Amazônica, repleta de sons, cheiros e cores. Manaus traz sua narrativa através de belas imagens que se desdobram nesse belo livro sanfonado. Ao passear por essa bela cidade, a criança conhecerá um pouco mais sobre os pontos turísticos, animais e costumes dessa região tão rica. Num mundo povoado por imagens é importante que a criança aprenda a lê-las e interpretá-las, principalmente com a ênfase que o código escrito recebe durante o período de alfabetização da criança e que pode acabar deixando a leitura imagética em segundo plano.

Leitor autônomo (6 a 8 anos)

Autor: Davide Cali
Ilustrações: Soja Bougaeva
Tradutora: Noelly Russo
Editora: Livros da Raposa Vermelha

Andreia Baleia

No mês de temas atuais, é claro que Andreia Baleia não poderia ficar de fora da nossa seleção. Quarta-feira é dia de aula de natação, mas o momento que era para ser de diversão e descontração, para Andreia é causa de muita ansiedade. A cada aula, as colegas a tratam mal e ela se sente desconfortável com o próprio corpo. Até que um dia a menina tem uma conversa com o seu professor, que a ajuda a ressignificar sua visão sobre si mesma. Um estudo feito pela UFRGS com crianças de 8 a 10 anos de idade mostrou que 82% delas desejavam ter uma silhueta diferente, por isso esse livro é tão importante na medida que ajuda os pequenos a lidar com diferentes perspectivas sobre si.

Autora: Olga de Dios
Tradutora: Thaisa Burani
Editora: Boitatá

Os três irmãos de ouro

Todo mundo conhece a história da galinha dos ovos de ouro, mas o que acontece com os ovos depois que a história acaba? Olga de Dios parte da tradicional fábula de Esopo A gansa dos ovos de ouro e cria três novas histórias mais do que atuais e que refletem sobre problemas do mundo moderno como o desmatamento, o consumismo e até o valor da arte. Além de ressignificar o caráter moralizante da fábula, o leitor também estimula a sua criatividade ao ficar encarregado de dar o seu próprio final para essa história.

Leitor fluente (9 a 12 anos)

Autor: João Carlos Marinho
Ilustrações: Mauricio Negro
Editora: Global

O gênio do crime

Um clássico da literatura juvenil que foi precursor do gênero da literatura policial para o público juvenil no Brasil está comemorando 50 anos de publicação. O livro conta a história do Gordo e sua turma que vão em busca do gênio por trás da falsificação das figurinhas mais difíceis do álbum de futebol, em uma narrativa muito ágil e que prende o leitor do começo ao fim há gerações. Apesar dos anos que separam o lançamento dessa obra e o jovem leitor de hoje, algumas histórias contém temas que permanecem atuais, como é o caso de O gênio do crime, que traz o jovem como o protagonista da própria história. Divirta-se com esse delicioso mistério e aproveite essa edição comemorativa que traz também histórias da vida de João Carlos Marinho, além de uma adaptação cenográfica da obra com o ponto de vista do leitor de hoje.

Autor: Frank Tashlin
Tradutora: Dani Gutfreund
Editora: Boitatá

O urso que não era

O inverno chega e o Urso encontra uma gruta para hibernar, mas ele desperta na primavera e se encontra no meio de uma fábrica. Para onde foi a floresta e o que ele deveria fazer numa fábrica? Até a sua identidade vira uma incógnita. Afinal, lugar de urso não é numa fábrica, então será que ele é mesmo um urso? Em meio a questionamentos, o urso vai descobrindo quem realmente é. Uma obra que traz reflexões sobre as diferenças entre o que somos e como os outros nos veem, revelando como muitas vezes nos deixamos influenciar pelos olhares do outro a ponto de questionarmos nossa própria identidade.

APROVEITE ESTE MOMENTO PARA INCENTIVAR A LEITURA!


Ana Maria Machado: obra comemora 50 anos de carreira

Tem autores infantis que atravessam gerações, despertando as crianças para a riqueza da literatura e para o amor à leitura. Ana Maria Machado é um desses nomes no Brasil. Com mais de 100 obras publicadas em mais de 17 países e 20 milhões de exemplares vendidos, ela levou a literatura infantil brasileira a novos patamares, e com uma linda trajetória celebra 50 anos de carreira em 2019. Para marcar esse momento, atestando seu senso de atualidade e seu enorme poder criativo, lança o livro Brinco de listas, que os assinantes do Clube Quindim recebem antes do lançamento oficial.

Em Brinco de listas, Ana Maria Machado desafia os limites da linguagem, assim como as crianças gostam de fazer no momento que descobrem a sonoridade das palavras. É uma antologia de poemas que aborda elementos do dia a dia e da rotina, utilizando as listas como fio condutor. Assim, com sutileza, a autora levanta questionamentos sobre desmandos, opressões e desrespeito às liberdades individuais – um tema que permeia grande parte de sua obra.

Brinco de listas, obra que comemora 50 anos de carreira de Ana Maria Machado, chega antes aos assinantes do Clube Quindim

A autora reúne, ainda, reflexões sobre temas contemporâneos que têm rondado a infância. Um deles é o consumismo, essa ânsia de ter sempre mais e de buscar naquilo que pode ser comprado a motivação da felicidade – algo que muitas vezes brota dentro das famílias, como um recurso para amenizar a falta de tempo, por exemplo.

Outro assunto que Ana Maria Machado aborda é a burocratização da vida. Adultos e crianças estão afogados de afazeres, os pequenos frequentemente têm uma agenda repleta de atividades. O ócio e o tédio não são cultivados, ao contrário, é preciso aproveitar produtivamente cada segundo de nosso tempo, como se ele fosse nos aproximar da ideia de sucesso. O cotidiano fica, assim, focado na gestão do tempo, nas obrigações, com pouco tempo para trocas afetivas e a contemplação da vida. São fenômenos que parecem fazer parte do nosso contexto, e quando Ana Maria Machado os traz para seus versos provoca crianças e adultos a refletir sobre eles.


Uma história a se admirar

Ana Maria Machado com sua filha Luiza.

Nascida no Rio de Janeiro em 1941, Ana Maria Machado iniciou sua carreira como pintora, estudou Letras e foi professora. Começou a escrever para crianças na Revista Recreio, em 1969. Na época, era perseguida pela ditadura militar, e por isso foi exilada do país na França. Ali, conciliou uma tese de doutorado com os primeiros anos da maternidade. Integrou um grupo seleto de estudos na École Pratique des Hautes Études, orientada pelo sociólogo francês Roland Barthes. Desenvolveu, nesse contexto, um trabalho sobre a obra de Guimarães Rosa.

Ana Maria Machado atuou, ainda, como jornalista, tendo trabalhado no Correio da Manhã, no Jornal do Brasil, em O Globo, e colaborado com as revistas Realidade, Veja, IstoÉ, O Pasquim, Opinião e Movimento. Foi editora e sócia da Quinteto Editorial e criou a primeira livraria especializada em livros infantis, a Malasartes.

Seus livros conquistaram uma série de prêmios, entre eles o João de Barro, três Jabutis e vários títulos estrangeiros, como o Prêmio Mulher da Paz, atribuído pela Associação Mil Mulheres para o Nobel da Paz, o Prêmio Ibero Americano de Literatura Infantil e Juvenil – “Hors-Concours”, pela Fundação SM e o Prêmio Lifetime Achievement Award. Também se tornou hors-concours do Prêmio da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ) e do Prêmio Ibero-Americano de Literatura Infantil. Em 2000, recebeu o Hans Christian Andersen, considerado o Nobel da literatura para crianças. Foi ainda a sexta ocupante da cadeira de número 1 da Academia Brasileira de Letras, um grande feito para uma escritora mulher no Brasil, já que são poucas as autoras nesse espaço.

Versátil, de obra rica e extensa, Ana Maria Machado deve ser celebrada por tudo o que conquistou, pela rica literatura com a qual segue nos presenteando e pelo que tem feito pela literatura infantil. Conheça mais sobre a sua trajetória no vídeo a seguir, gravado em debate da Global:

APROVEITE ESTE MOMENTO PARA INCENTIVAR A LEITURA!


O gênio do crime: o que torna o livro, publicado há 50 anos, tão atual?

O gênio do crime, obra de João Carlos Marinho que encanta o público infantil há 50 anos, faz parte de um grupo seleto de narrativas que seguem fazendo sucesso geração após geração. E é por conta desse marco, que o livro ganhou uma edição comemorativa pelo Grupo Editorial Global, que chega antecipadamente aos assinantes do Clube Quindim.

Ana Maria Machado

“Quando fui dona da Malasartes (a primeira livraria infantojuvenil do Brasil, aberta em 1979, no Shopping da Gávea, no Rio), e chegavam pais dizendo que as crianças não gostavam de ler, eu recomendava logo ‘O gênio do crime’. Eu mesma ficava esperando as aventuras da turma do gordo. Era louca pela Berenice.”

O SUCESSO DO GÊNIO DO CRIME NOS ANOS 80

Se você cresceu nos anos 1980 provavelmente participou da febre que este livro gerava. Cheio de aventura e mistério, ele mostra uma turma de jovens diante da solução de um crime. Há uma fábrica de figurinhas de futebol que dá prêmios às crianças que preencherem o álbum. Entre os cromos, há os fáceis e os difíceis de serem encontrados. Só que, de repente, muitas pessoas começam a conseguir encher seus álbuns: por trás desse fenômeno, uma fábrica clandestina produz figurinhas falsas. E, na condução dessa fábrica, há um gênio do crime cruel e ardiloso.

Quem investiga tudo isso é uma turma composta pelos jovens Edmundo, Pituca, Bolachão e Berenice. Entre todos esses personagens, Bolachão, “o Gordo”, é o que mais se destaca. No começo do livro, ele é apresentado como um “zero à esquerda”, frequentemente alvo de tirações de sarro por parte dos outros jovens. Contudo, muito inteligente e corajoso, ele vai assumindo o posto de líder do grupo, despertando a admiração dos seus companheiros e fortalecendo sua autoconfiança. Vale dizer, inclusive, que este é o primeiro livro da série de 13 aventuras da “Turma do Gordo”, atestando o protagonismo desse personagem tão especial.

Pedro Bandeira

“João Carlos foi um dos maiores, pioneiro das turmas protagonistas da literatura juvenil. Seu livro O gênio do crime é um clássico, no qual muitos de nós bebemos a nos fartar.”

“Ele era fabuloso. Trouxe algo completamente novo para a literatura infantojuvenil brasileira. O gênio do crime tem um humor fresco, piadas que chegam ao nível de Mark Twain.”

O GÊNIO DO CRIME: uMA HISTÓRIA DE SUCESSO

O gênio do crime foi o primeiro livro escrito por João Carlos Marinho, em 1969, mas se tornou seu maior sucesso: superou a marca de 60 edições, vendeu mais de um milhão de exemplares e representava 50% das vendas de livros do autor, conforme ele diz em uma entrevista de 2013 (assista a seguir). O autor, que nasceu no Rio de Janeiro, mas vivia em São Paulo, era advogado e, apenas porque pôde contratar outro profissional para trabalhar em seu escritório, conseguiu ter tempo para escrever essa primeira obra.

Depois de O gênio do crime, Marinho escreveu mais de 15 livros, quatro deles para adultos, e foi reconhecido por diversos prêmios. Pela obra Sangue fresco, recebeu o Jabuti e o Grande Prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA). Por Berenice detetive, ganhou o Prêmio Mercedes-Benz.

Além disso, em 1973, O gênio do crime virou filme, dirigido por Tito Teijido, com o nome O detetive Bolacha contra o Gênio do Crime, e foi traduzido para o espanhol.

Ruth Rocha

O João foi o primeiro que fez. Depois outros fizeram. O gênio do crime é original, é novo. Por isso ele ficou. Ele influenciou muito a literatura que veio depois.

 

 

Mas porque tanto sucesso?

O livro tem a marca de uma época efervescente na cultura brasileira, e de contestação da contracultura no mundo todo. Não à toa, uma das suas principais marcas é a força, a coragem e a autonomia dos jovens protagonistas. Não há um adulto que direcione seus atos, mas eles mesmos usam sua inteligência para investigar o crime, se colocando em situações perigosas, inclusive. Rompem assim com as hierarquias tradicionais entre crianças e adultos, uma das características da Contemporaneidade.

Além disso, O gênio do crime foi precursor no gênero da literatura policial para o público juvenil no Brasil. Cheias de humor e piadas afiadas, suas páginas transpiram vida e energia, enredam os leitores de todos os tempos, dispostos a acompanhar os personagens na aventura e saber o desfecho da investigação. Características de um verdadeiro clássico da literatura infantil.

Marisa Lajolo e Regina Zilberma

João Carlos Marinho inaugurou na literatura infantojuvenil brasileira uma nova trajetória, em que um grupo de meninos e meninas (da elite) que resolvem os mistérios, que são insolúveis para os adultos, são independentes e decididos, sendo que suas aventuras têm continuidade de uma obra para outra, caracterizando uma série, seus livros abordam temas críticos entre efeitos do ‘maravilhoso’ em uma incrível combinação de realidade e fantasia.

APROVEITE ESTE MOMENTO PARA INCENTIVAR A LEITURA!


Grandes escritoras brasileiras chegam aos assinantes do Quindim no mês da mulher

Este mês, a seleção de nosso time de curadores homenageia escritoras que transformaram a literatura brasileira e que ocuparam espaços onde antes não eram bem-vindas. Como bem definiu Marina Colasanti, uma das autoras selecionadas:

“Somos mutantes, mulheres em transição. Como nós não houve outra antes. E as que vierem depois serão diferentes.”

O mês de março chega para relembrar as histórias contadas por essas grandes mulheres. Histórias sem as quais não seríamos quem somos hoje.

Pré-leitor (0 a 2 anos)

Escritora: Cecília Meireles
Ilustradora: Cris Eich
Editora: Global

Os pescadores e as suas filhas

Esta obra traz o emblemático poema de Cecília Meireles ilustrado pela aquarelista Cris Eich. Um poema que fala sobre o cotidiano de pescadores, com seus dias ensolarados, o movimento dos barcos, o mar e as suas filhas. E o afeto, os desejos e os sonhos dos personagens. É assim dançando, nesse movimento de cores e cantigas de sol e água, que o canto das meninas invade os sonhos dos adultos cansados. É assim também, com o canto de nossos filhos, que renovamos, dia a dia, nosso olhar adulto e fatigado.

Escritora: Ana Maria Machado
Ilustradora: Luisa Baeta
Editora: Global

Curvo ou reto: olhar secreto

Esta obra surgiu do encontro do olhar da mãe Ana Maria Machado com o olhar da filha Luisa Baeta. Uma escritora, outra fotógrafa, duas linguagens diferentes dançam juntas para revelar aquilo que nem sempre vemos. A roda de bicicleta, o balanço, a janela, o prato. Formas cujos significados já assimilamos. O olhar da infância, porém, ainda tende a ver o mundo mais como forma do que como significado. Assim, a caixa de papelão vira uma casa, um carro, um navio. O livro brinca um pouco com esse exercício de enxergar as formas deslocadas dos significados, algo fácil para os pequenos, mas que demanda esforço para o olhar mais enrijecido do adulto.

Leitor iniciante (3 a 5 anos)

Escritora: Tatiana Belinky
Ilustrador: Andrés Sandoval
Editora: 34

Limeriques das causas e efeitos

Os limeriques são versos curtos, ritmados e com um nonsense divertidíssimo. No Brasil, muitos se aventuraram, como Clarice Lispector, mas quando se fala em limerique… se fala em Tatiana Belinky, cujo centenário seria comemorado este mês. Este livro é ainda mais especial e representativo da obra de Belinky, pois, em diálogo com as ilustrações contemporâneas de Andrés Sandoval, trazem ainda outra grande característica dessa amada autora: o teatro. Esse encontro de uma forma poética tão tradicional e de uma autora centenária com a linguagem contemporânea encontrada pelo ilustrador é extremamente potente. Não são imagens óbvias, é o nonsense sobre o nonsense ressignificando formas e objetos neste teatro de sombras.

Autora: Angela-Lago
Editora: Rocco

A casa do bode e da onça

E cá temos mais um causo contado por nossa querida mineira Angela-Lago. Nesta história, a onça e o bode constroem sem perceber a mesma casa. E passam a ter de dividir muito a contragosto o mesmo espaço. A obra de Angela-Lago trata o popular como uma potência capaz de transformar a sociedade. Seus recontos são uma recriação, que pode tanto enriquecer como elucidar a leitura de uma história já conhecida, revitalizando o folclore e difundindo conteúdos que promovem a compreensão da realidade social para o leitor.

Leitor autônomo (6 a 8 anos)

Escritora: Clarice Lispector
Ilustradora: Mariana Valente
Editora: Rocco

A mulher que matou os peixes

Nesta obra, Clarice nos conta em primeira pessoa sua relação com os animais, para explicar ao leitor por que matou os peixinhos. É um relato de uma mãe sobre os bichos que já viveram em sua casa. Sobre o amor que tem por eles, sobre os descuidos de uma mulher atarefada, sobre os conselhos para um filho e sobre as dinâmicas cotidianas. As colagens que ilustram a narrativa trazem elementos da vida cotidiana de uma mulher da época de Clarice recolhidas pela neta da autora. Os pequenos detalhes complementam a narrativa, conferindo uma ambientação vintage, com autorreferência e humor.

Escritora: Míriam Leitão
Ilustrador: Rubens Matuck
Editora: Rocco

A perigosa vida dos passarinhos pequenos

Esta obra de Míriam Leitão traz, costurada em uma história central, uma série de pequenas narrativas sobre pássaros pequenos. A autora explica que tais histórias surgiram de fatos reais observados em seu sítio. No cotidiano acelerado, muitas vezes ficamos ensimesmados e não conseguimos parar para observar o mundo que acontece ao nosso redor. O mundo das pequenices, tão reveladoras. As delicadas ilustrações desta obra retratam os pássaros com verossimilhança. Lembram ilustrações antigas, de caráter mais realista. Suaves, tornam-se um convite para leitores de diferentes idades adentrarem nesse mundo sob a perspectiva dos passarinhos.

Leitor fluente (9 a 12 anos)

Autora: Marina Colasanti
Editora: Global

Quando a primavera chegar

Esta obra traz uma antologia de 17 contos inéditos da Marina Colasanti, que trazem o maravilhoso como marca. Um crisântemo floresce na palma da mão, um menino nasce com um olho no meio da testa, um relojoeiro fabrica um robô, um rei precisa de povo. Contos que trazem metáforas sobre regeneração, sobre dores e alegrias, sobre aquilo que não sabemos explicar e que nos faz humanos. As camadas de leitura que esta obra traz ultrapassa as fronteiras da idade – se é que elas existem de fato. Uma obra que fala a todos com fluência leitora, jovens e adultos, e que pode ser lida e discutida por toda a família.

Escritora: Cora Coralina
Ilustrador: Soud
Editora: Global

De medos e assombrações

Esta obra reúne contos de horror de Cora Coralina, uma das maiores escritoras brasileiras de todos os tempos. Neste livro, o leitor encontra uma linguagem de outros tempos, que ambienta – no próprio modo de contar, palavras, estrutura de frases etc. – o cenário de uma Goiás interiorana, em que histórias macabras circulavam como possível verdade e aterrorizavam os moradores de vilarejos. Um texto que demanda fluência leitora e, por isso, um tempo de leitura mais prolongado para alguns leitores em formação. Na Era da Informação, da velocidade, parar um momento e respirar esse outro tempo de uma Goiás interiorana pode se tornar um oásis para um leitor dedicado.

Saiba mais sobre o trabalho e a vida de 4 escritoras que transformaram a literatura infantil brasileira e que fazem parte da seleção do Clube Quindim.

APROVEITE ESTE MOMENTO PARA INCENTIVAR A LEITURA!


10 livros infantis dos anos 70 e 80 que encantam as crianças até hoje!

Você se lembra dos livros infantis e juvenis, dos anos 70 e 80, que fizeram sucesso? É emocionante apresentar um livro novo para uma criança e ver seu encantamento e envolvimento com a história. Mas o que dizer quando essa história fez parte da sua infância e tocou várias gerações? A equipe do Clube Quindim separou dez clássicos da literatura infantil e juvenil que com certeza vão conquistar seus filhos também!

Livros infantis dos anos 70 e 80

A BOLSA AMARELA (Lygia Bojunga)

O que fazer com um desejo que é difícil de entender? Raquel tem três desses desejos: a vontade de crescer, de ser garoto e de ser uma escritora. Como não sabe lidar com tudo isso, entra em conflito consigo e com a sua família, escondendo sua fantasia numa bolsa amarela. Enquanto tenta entender seus anseios e lida com desafios do mundo real, ela se descobre como pessoa.

A bolsa amarela foi um livro escolhido pelos curadores do Clube Quindim. É o livro mais conhecido de Lygia Bojunga, a primeira escritora da América Latina a ganhar os prêmios Hans Christian Andersen (considerado o Nobel da Literatura Infantil e Juvenil) e o ALMA – Memorial Astrid Lindgren (um dos maiores reconhecimentos internacionais). Conheça mais sobre a autora acessando o site da Fundação Casa Lygia Bojunga.

A BRUXINHA ATRAPALHADA (Eva Furnari)

A premiada autora Eva Furnari criou uma personagem para lá de carismática que habita outras histórias e peças de teatro. Essa obra foi considerada o melhor livro ilustrado para crianças pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil em 1982.  No livro, a bruxinha aparece em histórias sequenciais cheias de humor – e com muito espaço para que a criança crie diálogos com sua imaginação.

Saiba mais sobre a Bruxinha atrapalhada e outras obras de Eva Furnari acessando o site da autora.

A CURIOSIDADE PREMIADA (Fernanda Lopes de Almeida)

O encantamento diante do mundo e o desejo por descobrir como tudo funciona são traços característicos da infância, mas Glorinha é um caso à parte! A garota enche todos à sua volta com perguntas, deixando seus pais, familiares, vizinhos e até a professora loucos. Mas será que curiosidade demais faz mal? Com delicadeza e sensibilidade, as páginas deste livro nos mostram que é fazendo perguntas que reciclamos a admiração pelo mundo e pela vida.

Os leitores do Quindim já receberam esse clássico . Os livros da autora Fernanda Lopes de Almeida fizeram parte da renovação da literatura infantil brasileira nos anos 70. Além disso, traziam uma interação entre ilustração e texto inédita até então. Confira esta entrevista da autora.

Escritora: Chico Buarque
Ilustrador: Ziraldo
Editora: Autêntica

A DROGA DA OBEDIÊNCIA (Pedro Bandeira)

Best-seller entre os livros de mistério para jovens no Brasil, esta obra tem como protagonista o grupo “Os Karas”. São cinco jovens que investigam e ajudam a desvendar crimes, e no meio-tempo lidam com seus conflitos da adolescência.

Nesta primeira aventura do grupo, eles se veem diante do desaparecimento de alunos de vários colégios de São Paulo. Os personagens ainda aparecem nos livros Pântano de sangueAnjo da morteA droga do amor e A droga de americana.

Seu autor, Pedro Bandeira, vendeu mais de 20 milhões de exemplares de seus livros, que com sutileza discutem problemas sociais e questões como o consumo de drogas na juventude. Veja aqui uma entrevista com o autor.

O GÊNIO DO CRIME (João Carlos Marinho Silva)

Que criança resiste a uma boa história de mistério e aventura? A prova é este sucesso editorial que tem 40 anos e se tornou uma das referências da literatura nacional. O livro apresenta a primeira aventura da “turma do gordo”: uma investigação de um grupo de crianças, depois que uma fábrica clandestina começa a produzir figurinhas raras, desfalcando o negócio do bondoso Seu Tomé.

Para saber mais sobre como o mistério e o suspense fascinam as crianças em todas as gerações leia o artigo Por que o suspense e o mistério fascinam os jovens leitores?

Confira o autor João Carlos Marinho falando sobre o sucesso do livro O Gênio do Crime.




LÚCIA JÁ-VOU-INDO (Maria Heloísa Penteado)

Lúcia é uma lesma supersimpática, mas tem um probleminha: faz tudo devagar, especialmente se deslocar de um lugar para o outro. Quando recebe o convite para uma festa dançante da libélula Chispa-Foguinho, se esforça para se arrumar e chegar antes da hora. Mas quem disse que consegue? Até que uma grande ideia aparece!

Os pequenos vão adorar acompanhar as aventuras de Lúcia Já-Vou-Indo e torcer para que ela, enfim, possa se divertir com os outros insetos!

MANECO CANECO CHAPÉU DE FUNIL (Luís Camargo)

Quando uma série de objetos e utensílios domésticos se cansam de ficar sem fazer nada, eles se unem e pouco a pouco criam o boneco Maneco Caneco. Tem escumadeira, concha, vassoura, pá e uma série de itens inusitados, daqueles que divertem os pequenos. Além disso, a história é contada de forma cumulativa, com repetições e em versos. O resultado? Uma leitura divertida que ainda exercita a memória e a musicalidade da criança.

Depois desta primeira aventura, Maneco aparece nos livros Panela de arroz, Bule de café e Folia de feijão, também do autor Luís Camargo.Nas outras obras, o simpático personagem descobre mais sobre o funcionamento da natureza e os mágicos preparos da cozinha. É puro encantamento para as crianças menores!

MARCELO, MARMELO, MARTELO E OUTRAS HISTÓRIAS (Ruth Rocha)

Marcelo é um dos personagens mais conhecidos e divertidos da escritora Ruth Rocha. Ele decide reinventar o nome das coisas, e assim: “cadeira” vira “sentador”, “leite” vira “suco de vaca” e um simples “bom dia” se torna “bom solário”. Além dessa história que ficou no coração de uma geração de leitores, o livro traz “Teresinha e Gabriela”, sobre duas amigas bem diferentes, e “O dono da bola”, que fala de um menino mimado que passa a se transformar pouco a pouco.

O livro já vendeu mais de 10 milhões de exemplares. Saiba mais sobre Ruth Rocha acessando o site da autora.

MENINA BONITA DO LAÇO DE FITA (Ana Maria Machado)

Este livro doce e muito delicado se tornou uma das principais obras para refletir sobre a diversidade racial, a autoestima e o orgulho das crianças por serem negras. O livro apresenta uma linda garotinha negra que é alvo da admiração de um coelho bem branquinho. O coelho quer saber o que é preciso para ser pretinho como ela. Em sua descoberta, os personagens e os leitores entendem a importância de valorizar a sua ancestralidade. Para conhecer mais sobre a autora Ana Maria Machado, que também já ganhou o Prêmio Hans Christian Andersen, e suas obras, você pode acessar o seu site pessoal. Autora de muitos livros infantis dos anos 70 e 80 que foram um sucesso, Ana Maria Machado também é curadora do Clube Quindim.

A importância sobre a diversidade racial para as crianças já foi tema do artigo Podemos falar de protagonismo negro nos livros infantis? aqui no Blog, escrito pela Doutora em Teoria da Literatura e pesquisadora na temática, Eliane Debus.

O MENINO MALUQUINHO (Ziraldo)

Com o olho maior que a barriga, fogo no rabo, vento nos pés e macaquinhos no sótão, o Menino Maluquinho é muito especial. No fundo, é um pouquinho como todos os meninos e meninas do mundo! Este livro criativo, cheio de referências e ilustrações divertidas, marcou época. Uma obra que apresenta um jeito tão sensível de retratar as travessuras e a ingenuidade da infância. As travessuras desse menino já ganharam as telas do cinema. Veja a matéria no blog do Quindim

Conheça as muitas histórias do Menino Maluquinho criado por um dos artistas mais reconhecido no Brasil e no mundo clicando no site do Ziraldo, que também é curador do Clube Quindim.

APROVEITE ESTE MOMENTO PARA INCENTIVAR A LEITURA!