A cena é clássica. Você chega em uma livraria e diz ao seu filho: escolhe! À frente dele, centenas de livros-brinquedos, com seus sons, pop ups, texturas diferentes e muitas atrações. Ele, claro, não resiste, pega vários e pede: mãe, leva pra mim? E então você se pergunta: será que este livro-brinquedo vai ajuda meu filho a ser um leitor? Podemos dizer que não… e que sim! Vamos explicar:

zumbi monstros no cinema
  • Primeiro precisamos entender que todo livro é um brinquedo. Ao abrir um livro, o leitor é convidado para um jogo, para um desafio, para uma aventura. Perceber isso coloca o livro como um objeto que deve ser incluso na lista de presente de aniversário, natal e outras datas comemorativas.
lagarta muito comilona
  • Todo livro trabalha a coordenação motora da criança. Livros com várias abas para a criança puxar e descobrir o que está escondido, ou com furos para colocar o dedo e virar a página, são bem-vindos. Mas mesmo assim, se o livro não tiver essas abas ou furos, o fato de virar a página já é um movimento muito importante para esse jovem leitor.
o sapo bocarrão
  • O livro com imagens em 3D, que também chamamos de pop up, são interessantes pelo efeito surpresa. Mas precisamos lembrar que livros com pop up costumam ser entregues para as crianças pequenas que ainda estão testando a sua força. Geralmente o que acontece é que as crianças ficam tão maravilhadas com a imagem que salta do livro que amassam essas imagens estragando-as e causando frustração no adulto.